PUBLICIDADE
Topo

Renato diz que Grêmio massacrou no primeiro tempo e vê jogo para história

Renato Gaúcho, durante partida entre Grêmio e Libertad, pelas oitavas de final da Libertadores - REUTERS/Diego Vara
Renato Gaúcho, durante partida entre Grêmio e Libertad, pelas oitavas de final da Libertadores Imagem: REUTERS/Diego Vara

Do UOL, em Porto Alegre

26/07/2019 00h30

Renato Gaúcho rasgou elogios ao Grêmio depois da vitória por 2 a 0 sobre o Libertad, com um jogador a menos durante todo o segundo tempo. Segundo o treinador, o jogo fica para história pela circunstância da vitória em jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Ele ainda disse que no primeiro tempo sua equipe massacrou o adversário.

"Foi um jogo bastante emocionante, pegado. Desde o primeiro tempo, minha equipe se comportou muito bem. Eu elogiei todos os jogadores. Faltava o gol, definir mais rápido a jogada. Era questão de minutos para sair o gol. Taticamente, foi uma das melhores partidas que o Grêmio fez no primeiro tempo. Não demos chance para o contra-ataque. Foi um massacre no primeiro tempo, só faltou o gol. Pressionamos no segundo tempo, mas veio a expulsão. Minha equipe soube suportar um jogador a menos. Procurei fazer as substituições e conseguimos fazer os dois gols em bolas paradas, e ainda não sofremos gol, que é muito importante. Foi um jogo para ficar na história por tudo que aconteceu, da maneira que aconteceu", disse Portaluppi.

O Grêmio teve Pedro Geromel expulso logo no começo do segundo tempo. Ainda assim conseguiu marcar duas vezes e abrir boa vantagem para o duelo de volta, na próxima quinta, no Paraguai.

"Não tem nada definido. A eliminatória tem 180 minutos, foram os primeiros 90. Vamos ver como enfrentaremos eles no Paraguai", disse o treinador.

Os gols foram de Tardelli e David Braz. O primeiro, após a partida, comemorou a recuperação e revelou um período depressivo.

"Eu tive várias conversas com Tardelli, o presidente, a diretoria. O clube fez um esforço muito grande por ele, conseguiu a contratação e depositamos muita esperança nele. Sabemos dos problemas que andou passando, mas ele sempre teve o carinho e a confiança de todos. Nunca deixamos ele de lado, ele é testemunha disso. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde ele iria começar a nos ajudar. O gol vai devolver a confiança, o Tardelli vai começar a pensar em outras coisas, boas, melhores, ele sabe que o grupo gosta e precisa dele. Ele veio justamente para nos ajudar, fazer a diferença, como fez hoje. Espero que este belo gol devolva a alegria para ele, porque ninguém desaprende a jogar", disse.

O Grêmio joga por qualquer vitória, empate ou derrota por um gol de diferença no compromisso de volta, na próxima quinta-feira, no Paraguai. Até mesmo derrota por dois de diferença serve, desde que o Tricolor marque como visitante (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3, por exemplo). Ao Libertad cabe vencer por 2 a 0 e levar a decisão para os pênaltis ou ganhar por três ou mais de diferença.

Grêmio