PUBLICIDADE
Topo

Tardelli revela período depressivo e diz que gol "lava a alma" no Grêmio

Diego Tardelli, jogador do Grêmio, comemora seu gol durante partida contra o Libertad, na Arena do Grêmio, pela Libertadores -  Pedro H. Tesch/AGIF
Diego Tardelli, jogador do Grêmio, comemora seu gol durante partida contra o Libertad, na Arena do Grêmio, pela Libertadores Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Do UOL, em Porto Alegre

25/07/2019 23h43

Diego Tardelli foi fundamental na vitória do Grêmio por 2 a 0 sobre o Libertad, hoje (25), em jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. O atacante saiu do banco e marcou o primeiro gol do jogo que deu ao Tricolor boa vantagem para o compromisso de volta, no Paraguai. E depois da partida, ele revelou que passou por um período depressivo e agradeceu o apoio recebido.

"Eu venho trabalhando duro aqui há três, quatro meses. Muita gente não sabia, mas passei por um período depressivo durante estes meses. Tomei muita pancada. Muita gente não sabia disso, muito se falou. Mas minha família, minha esposa sabem bem do que passei para chegar neste momento com gol, ser coroado. Saio muito feliz por tudo que vinha fazendo e por fazer parte deste grupo hoje", disse o atacante.

Foi o terceiro gol de Tardelli pelo Grêmio, mas sem dúvida o mais importante. O jogador viveu momentos complicados, sobrou do banco, ficou afastado do time. Muitas especulações surgiram até o presidente do Grêmio se manifestar e garantir que dependia do atleta o aproveitamento. Tardelli respondeu através de uma rede social e Renato Gaúcho apostou que tudo estava resolvido.

Aos poucos, reconduziu o atacante ao time e na noite de hoje foi premiado com gol quando o Tricolor tinha um jogador a menos, já que Geromel havia sido expulso.

"Hoje foi um dia para lavar a alma. Me sinto com uma cabeça boa, estou tranquilo, o grupo, minha família, o Renato, o presidente, todos me ajudaram. Agora estou com a cabeça boa", vibrou.

O 2 a 0 dá ao Grêmio chance de ir às quartas de final da Libertadores com qualquer vitória, empate ou derrota por um de diferença. Até mesmo derrota por dois de diferença serve desde que o Tricolor marque como visitante (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3, por exemplo). Ao Libertad cabe vencer por 2 a 0 e levar a decisão para os pênaltis ou ainda marcar três ou mais de vantagem.

Grêmio e Libertad voltam a se enfrentar na próxima quinta-feira, no Paraguai.

Grêmio