Topo

Esporte


Guerrero minimiza vaias na Arena Corinthians e nega racha no elenco do Peru

Guerrero é substituído durante o duelo entre Peru e Brasil, na Arena Corinthians - Thiago Calil/Agif
Guerrero é substituído durante o duelo entre Peru e Brasil, na Arena Corinthians Imagem: Thiago Calil/Agif

Diego Salgado, José Edgar de Matos e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

24/06/2019 12h57

Apesar de a seleção peruana ter sofrido uma goleada por 5 a 0 do Brasil no fechamento da primeira fase da Copa América, Paolo Guerrero aposta na recuperação de sua equipe no torneio. Alvo de vaias na Arena Corinthians durante a partida, o atacante falou também sobre a situação do seu time e da relação com o público brasileiro.

Classificado na terceira posição do Grupo A, o time peruano vai enfrentar Uruguai ou Chile nas quartas de final - as seleções se enfrentam hoje às 20h (horário de Brasília), no Maracanã. Como tem a melhor campanha até o momento na sua chave, o Chile joga por um empate para assegurar o primeiro posto. Guerrero, porém, prefere não escolher adversário.

"Hoje sou rival do Brasil, é lógico que receberia vaias. Já joguei muitos clássicos e isso não afeta em nada. Seria muito lindo jogar um clássico. Temos de nos preparar para o que vem. Mas, para nós, não importa se será Chile ou Uruguai. Será uma partida de muita expectativa", disse o atacante, que também negou que a equipe peruana esteja com problemas de relacionamento.

"Quem disse [que o grupo está rachado]? O grupo está muito bem internamente, estamos muito unidos. Não tem nenhum problema dentro do grupo, estamos mais unidos do que nunca. Falamos com todos os jogadores. Recebemos um dia livre para ficar com a família, isso nos deu motivação. Vamos trabalhar forte, para corrigir erros. Neste grupo todos são identificados. Nós mesmo nos fortalecemos", ressaltou Guerrero.

Hoje, a equipe peruana treinou hoje no Pacaembu. Os jogadores fizeram exercícios físicos e o trabalho de passe no campo. Guerrero, escolhido para falar com a imprensa, lamentou a derrota para o Brasil no último sábado (22).

"Como todo peruano não queria perder desta maneira. Somos um competitivo, queremos uma revanche para fazer algo melhor. Vamos tentar corrigir os erros", frisou o jogador.

Mais Esporte