Topo

Seleção Brasileira


Coutinho chega à seleção após ano ruim e vira foco de pressão em Tite

Philippe Coutinho foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Liverpool, sua ex-equipe - JOSE JORDAN / AFP
Philippe Coutinho foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Liverpool, sua ex-equipe Imagem: JOSE JORDAN / AFP

Danilo Lavieri, Marcel Rizzo e Pedro Lopes

Do UOL, em Teresópolis (Rio de Janeiro)

28/05/2019 04h00

Em nome dos serviços prestados no passado, Tite resolveu manter as suas fichas em Philippe Coutinho. O meio-campista do Barcelona se apresenta hoje à seleção brasileira e tenta apagar uma das piores temporadas nos últimos anos. Ele é um dos nomes mais contestados entre os 23 convocados para a Copa América de 2019.

Vice-campeão da Copa do Rei após perder para o Valencia no último domingo, o atleta terminou a temporada 2018/19 com números abaixo de sua média recente. Foram 54 partidas, com 11 gols e só cinco assistências. O atleta dá mostras que sente a pressão e até colocou as mãos no ouvido para comemorar um gol, rebatendo as críticas.

Para base de comparação, na temporada passada, ele jogou menos e apareceu mais. Foram 14 assistências (quase o triplo) e 22 gols (o dobro) em 42 jogos disputados. Entre 2016 e 2017, ele disputou 36 partidas, deu nove assistências (quase o dobro) e fez 14 gols. Já entre 2015 e 2016, foram 43 jogos, com sete assistências e 12 gols.

Não à toa, vários jornais espanhóis criticaram a ausência do brasileiro nos momentos mais decisivos da temporada. Ele foi bastante criticado pela atuação na eliminação diante do Liverpool, na Liga dos Campeões. Em março, quando Coutinho também não foi bem nos amistosos da seleção contra Panamá e República Tcheca, os veículos catalães chegaram até a dizer que o meio-campista estava à venda.

No início deste mês, Messi foi a público para pedir que a torcida do Barcelona parasse de criticar o brasileiro e destacou que o momento no clube catalão era de união. Em janeiro, o argentino já havia até deixado de lado a sua posição de dono das bolas paradas para que a revelação vascaína batesse um pênalti no jogo que terminaria 6 a 1 contra o Sevilla.

Tite já deixou bem claro em entrevistas que confia em Coutinho por conta de suas boas apresentações sob seu comando na seleção. Um dos jogos mais lembrados por ele é o contra a Argentina, pelas Eliminatórias da Copa, no Mineirão, quando o meio-campista se destacou no triunfo por 3 a 0.

Coutinho, aliás, está entre os atletas que mais cresceram de produção com a entrada de Tite. Nos dois primeiros jogos pós-Dunga, ele começou no banco de reservas e conquistou seu espaço até chegar na Rússia como titular absoluto.

A comissão da seleção ainda acredita que, por vezes, Coutinho joga fora de sua posição ideal no time espanhol e que o bom futebol pode voltar a aparecer com ajustes táticos. O primeiro teste está marcado para o dia 5 de junho, contra o Qatar, em Brasília. A estreia da Copa América está agendada para o dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi, em São Paulo.

Mais Seleção Brasileira