Topo

Brasileirão - 2019


Corinthians cozinha São Paulo, vence a sua maneira e amplia tabu na Arena

Arthur Sandes e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

26/05/2019 20h56

O Corinthians venceu o São Paulo em clássico muito ao seu gosto na noite de hoje, em sua Arena. Pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o Alvinegro abriu o placar cedo com Pedrinho e controlou a temperatura do jogo tanto quanto quis para ganhar por 1 a 0.

A vitória alvinegra amplia o tabu do rival em Itaquera: agora são 12 clássicos sem vitória do São Paulo na Arena (nove derrotas e três empates). O Corinthians sobe aos 11 pontos no Brasileirão e se iguala ao Tricolor, que perde sua invencibilidade na competição. Agora os times se voltam aos mata-matas: o São Paulo tem decisão contra o Bahia na Copa do Brasil na quarta-feira (29), enquanto o Timão pega o Deportivo Lara (VEN) no dia seguinte, na Sul-Americana.

Brilhou: Fagner sobra no clássico

 Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF


O lateral vive uma ótima fase e não deixou o ritmo cair no Majestoso. Foi dominante no seu lado do campo, anulou Éverton completamente e nem Alexandre Pato conseguiu nada por ali. Fagner deu assistência para o gol de Pedrinho, mas sua melhor jogada individual talvez tenha sido um desarme: Pato entrava na área com tudo para empatar, mas o lateral da seleção brasileira cortou no momento exato.

Apagado: Pato tem atuação nula contra ex-time

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF


No reencontro com o Corinthians, clube com o qual teve contrato entre 2013 e 2016, Pato teve atuação apagadíssima. Xingado desde o aquecimento pela torcida, ele mal pegou na bola no primeiro tempo; quando pegou, errou as jogadas. Já na segunda etapa ele voltou aberto pela esquerda, onde mais gosta de jogar, mas continuou nulo ofensivamente. Não criou praticamente nada contra Fagner pelo setor.

Gol cedo amadurece o Corinthians

Mal deu tempo de os times se adaptarem ao clássico, e Pedrinho contou com desvio em Arboleda para abrir o placar. Em vantagem, o Corinthians se encontrou mais cedo e pôde determinar o encaixe tático: deu campo ao São Paulo para testar a temperatura do rival e, percebendo que sofria poucos riscos, retomou bom ritmo. Fez primeiro tempo melhor com certa naturalidade, com maior presença na área e marcação bem encaixada.

São Paulo só cria na bola parada

O empate tricolor só não saiu aos 23 minutos porque Arboleda foi flagrado em impedimento após Cássio dar rebote em falta cobrada por Reinaldo. Depois Bruno Alves subiu alto e levou perigo em cabeceio. Foram as duas únicas chances do São Paulo, que na bola rolando não fez mais do que rondar a área rival.

Posse de bola não inflama o São Paulo

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF


O Tricolor voltou do intervalo com um pouco mais de iniciativa, mas não o suficiente para furar a defesa rival. A posse de bola não acuou o Corinthians, o que manteve o jogo equilibrado e mais ou menos ao gosto do time da casa. Foi só nos vinte minutos finais que o São Paulo resolveu se lançar de verdade ao ataque, mas sem grande paciência ou capricho.

Corinthians controla sem rival perceber

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF


Abrir o placar aos seis minutos fez muito bem ao Corinthians, que desde cedo teve o benefício de escolher como queria jogar. Houve até recuo no primeiro tempo, mas com riscos muito bem calculados e marcação organizada. Depois do intervalo essa impressão só ficou mais clara: o Timão se mostrou confortável sem a bola e se satisfez porque é confiante no próprio poder defensivo.

Sem reação, São Paulo paga pela timidez

Faltou senso de urgência ao São Paulo, que foi inofensivo em alguns momentos do jogo. Não que o rival tenha sido dominante no clássico, mas o Tricolor ofereceu resistência tímida demais e assim foi incapaz de criar uma sequência de bons momentos em campo. Mesmo quando teve a bola à disposição, na etapa final, rodou o jogo para lá e para cá sem nenhuma eficiência.

Pressão tricolor dá emoção à reta final

O São Paulo chegou vivo à reta final do clássico porque o Corinthians não conseguiu armar um contra-ataque letal. O Alvinegro levou o segundo tempo meio em banho-maria, enquanto o Tricolor foi aquecendo gradativamente e chegou próximo ao empate nos minutos finais. A melhor chance foi de Alexandre Pato, que perdeu gol inacreditável - a arbitragem chegou a apontar impedimento, que talvez seria corrigido pelo VAR se o gol saísse. O Timão também quase fez o segundo, mas Tiago Volpi saiu muito bem para abafar Gustagol dentro da área.

VAR anula expulsão de Hernanes

Uma confusão marcou os acréscimos do clássico após Hernanes deixar o braço em Sornoza, em lance no meio-campo. Um empurra-empurra tomou lugar no círculo central, e o árbitro Flavio Rodrigues de Souza a princípio mostrou o cartão vermelho a Hernanes. Depois de intervenção do VAR, no entanto, a expulsão foi cancelada.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 0 SÃO PAULO

Data: 26 de maio de 2019, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Público: 39.378 pagantes (total: 39.670)
Renda: R$ 1.916.228,30
Competição: Campeonato Brasileiro (6ª rodada)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Daniel Luís Marques (ambos de SP)
Cartões amarelos: Júnior Urso, Danilo Avelar e Sornoza (Corinthians); Antony, Igor Vinícius, Igor Gomes e Hernanes (São Paulo)

Gol: Pedrinho, aos seis minutos do primeiro tempo.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza; Clayson (Ramiro), Pedrinho (Mateus Vital) e Vagner Love (Gustagol). Técnico: Fábio Carille

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius (Igor Gomes), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Hudson, Tchê Tchê e Vítor Bueno (Helinho); Antony, Pato e Everton (Hernanes). Técnico: Cuca