Topo

Victor ressurge decisivo após vaias e coloca Atlético-MG no alto da tabela

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

19/05/2019 04h00

A vitória do Atlético-MG por 2 a 1 contra o Flamengo, na noite de ontem (18), teve vários personagens principais. No Galo, um deles foi o goleiro Victor, responsável por salvar a equipe em vários momentos no segundo tempo de jogo, quando os mineiros se defendiam com um jogador a menos e se doavam em campo para segurar a vitória pelo Brasileirão.

Tratado como santo, o camisa 1 também saiu das quatro linhas com as pazes feitas com o torcedor após colocar o time em segundo lugar na tabela do campeonato. Apesar da idolatria, o goleiro chegou a ouvir vaias recentemente e não escapou das críticas que chegaram das arquibancadas para o elenco alvinegro.

"Procuro fazer o meu trabalho, me preparar para fazer jogos como esse. Estamos sujeitos a acertar e errar, mas jamais vou me omitir. Foi um grande jogo, a equipe deu uma entrega absurda, com um poder de superação que foi premiado com o golaço do Chará", comentou o goleiro.

Victor defendeu dez finalizações do Flamengo que foram em direção ao gol alvinegro. No segundo tempo de jogo, foram 15 chutes do time carioca, seis na meta do goleiro. Além da pressão rubro-negra durante praticamente toda a etapa final, a partida ainda contou com outros momentos dramáticos. O Galo foi para o intervalo sem o volante Elias, expulso por causa de uma entrada no tornozelo de Renê. Em vantagem após o golaço de Chará, o time mineiro precisou se desdobrar em campo para encerrar o jogo de forma heroica e com os três pontos.

"Se tecnicamente as coisas não saem da forma que a gente espera, o nível de entrega não pode faltar. Isso tem que servir de referência para o resto da temporada", concluiu o goleiro.