PUBLICIDADE
Topo

Por que a torcida do Barcelona vaia o hino da Champions

Torcida do Barcelona no Camp Nou durante jogo contra o Manchester City, pela Liga dos Campeões  - Albert Gea/Reuters
Torcida do Barcelona no Camp Nou durante jogo contra o Manchester City, pela Liga dos Campeões Imagem: Albert Gea/Reuters

DO UOL, em São Paulo

16/04/2019 04h00

Já se tornou uma marca da torcida do Barcelona vaiar o hino da Liga dos Campeões em partidas do clube na competição. Mas por que isso acontece? A identificação de parte dos torcedores do clube com o movimento separatista catalão é a base para entender a questão.

As primeiras vaias verificadas no Camp Nou durante a execução do hino da Champions League coincidiram com o endurecimento do discurso do Barcelona contra seguidas punições aplicadas pela Uefa, em 2015. A primeira delas, de 30 mil euros, depois da exibição de bandeiras estreladas, símbolo do movimento que pede a separação da região da Catalunha em relação à Espanha, em ato de torcedores na final do torneio em junho daquele ano, em Berlim.

A primeira vaia ao hino foi registrada no Camp Nou na estreia do clube na Champions League da temporada seguinte, no duelo contra o Bayer Leverkusen, em setembro de 2015. Além de vaiar o hino, torcedores do Barcelona voltaram a exibir símbolos relativos ao movimento independentista. Resultado: nova multa aplicada pela Uefa, desta vez de 40 mil euros.

Camp Nou em dia de jogo do Barcelona na Liga dos Campeões - Susana Vera/Reuters - Susana Vera/Reuters
Camp Nou em dia de jogo do Barcelona na Liga dos Campeões
Imagem: Susana Vera/Reuters

A atitude provocou revolta no Barcelona, inclusive com uma forte declaração do presidente Josep Maria Bartomeu pedindo um basta à entidade pelas seguidas punições que, na visão do clube, atentavam contra a liberdade de expressão.

"Eles querem converter uma manifestação de sentimentos em uma manifestação política. A Uefa se meteu em uma briga sancionando algo que não é delito em nosso país", disse Bartomeu, na oportunidade.

Vale lembrar que, na época, a região passava por um momento de efervescência, com a realização em setembro daquele ano de eleições regionais que deram fôlego ao movimento pela separação da Catalunha. Dois anos depois, foi convocado um referendo que teve como consequência uma declaração de independência unilateral por parte de Carles Puigdemont. Porém, a situação foi revertida pelo Governo Espanhol, mantendo o território catalão como parte do país.

Desde então, as vaias ao hino da Liga dos Campeões se tornaram constantes em jogos do Barcelona na Liga dos Campeões, com a intensidade variando de acordo com o momento de efervescência política na região. Em 2017, a Uefa deixou de punir clubes pelas vaias ao hino da competição.

Esporte