PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ele imita mais de 40 boleiros, fez Felipe Melo rir e viu "veto" de Felipão

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

11/03/2019 04h00

Mais de 40 vozes conhecidas do mundo do futebol saem da garganta de Rudy Landucci. Palmeirense fanático, o jovem humorista virou uma referência boleira nos últimos anos graças a imitações de personalidades como Felipe Melo, Neymar, Vampeta, Caio Ribeiro, entre muitas outras.
 
O sucesso tem vindo principalmente através de vídeos nas redes sociais, mas as performances de Rudy também aparecem semanalmente na tela do Fox Sports e nas ondas do rádio, pela Globo FM de São Paulo.
 
No ano passado, uma das performances, retratando o técnico Roger Machado, rendeu polêmica ao humorista, por um suposto desrespeito racial em razão do uso de "blackface" (quando comediantes brancos se maquiam como negros e faziam piadas). 

"Imitei o Roger, que é meu amigo pessoal. Estava moreno porque ele é moreno. Gerou uma polêmica, e a gente evita de fazer outro personagem moreno. Achei legal porque levantou a discussão. As pessoas foram ver: 'isso o Rudy não fez'. Eu respeito todo mundo", argumentou.

Mas a verdade é que Rudy foi abraçado pela comunidade boleira, fazendo suas imitações na frente de vários personagens da vida real. Isso acontece com Vanderlei Luxemburgo, por exemplo, quando ambos se encontram em uma barbearia de São Paulo. O humorista também já fez sua performance do Craque Neto no programa do apresentador da Band.

Humorista Rudy Landucci imita o apresentador Neto no programa "Os Donos da Bola" - Reprodução/Band - Reprodução/Band
Imagem: Reprodução/Band

Rudy comemora o bom momento da carreira e o sucesso do foco no mundo do futebol: "Se até o Felipe Melo curte, é porque o bagulho deu certo".
 
No vídeo acima, Rudy Landucci oferece uma amostra de seu repertório, de Casagrande a Mauro Cezar Pereira, de Tite a Cuca. Na entrevista, o humorista ainda relata por que o técnico palmeirense Luiz Felipe Scolari vetou uma imitação sua em um evento no ano passado. 

"O Troféu Mesa Redonda me chamou para participar, e o Palmeiras tinha sido campeão brasileiro. Eu ia finalizar imitando o Felipão. Sou palmeirense, eu amo ele. Mas na hora da primeira imitação a assessoria dele falou: 'ó, se fizer o Felipão, ele não vai gostar, a gente vai embora daqui'. Fiquei meio chateado porque é um cara que eu gosto. Parece que tinham feito uma imitação dele dois dias antes e ele não gostou. Eu não ia falar do 7 a 1, a carreira dele é muito maior. Mas, enfim, está tudo bem", relatou.

Futebol