PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio se mantém invicto, mas procura ajustes após "jogo mais duro do ano"

Grêmio foi surpreendido no início do jogo e depois oscilou mesmo com posse de bola - HECTOR RIO / AFP
Grêmio foi surpreendido no início do jogo e depois oscilou mesmo com posse de bola Imagem: HECTOR RIO / AFP

Do UOL, em Porto Alegre

07/03/2019 04h00

O Grêmio não perdeu a invencibilidade na temporada, mas saiu do jogo contra o Rosario Central ciente de que precisa de ajustes. O empate por 1 a 1 no interior da Argentina mostrou que o time ainda precisa evoluir taticamente e encontrar encaixe para as novas peças do elenco. Para Renato Gaúcho, o duelo 'mais duro do ano' também se explica pelo estágio físico.

Agora, o Grêmio soma seis vitórias e três empates em nove partidas oficiais em 2019.

"Foi o jogo mais duro do ano? Foi, mas é Libertadores. Não que o Campeonato Gaúcho não seja duro, é difícil ganhar qualquer jogo. Mas o Rosario não vem muito bem no campeonato argentino, viraram a página e correram, lutaram", justificou Renato Gaúcho. "Estamos em início de temporada. Essa equipe jogou a quarta partida no ano, se não me engano. O Rosario está mais jogado", completou o treinador do Grêmio.

O gol de Zampedri, logo aos dois minutos de partida, irritou a comissão técnica. No decorrer da partida, o desempenho defensivo também gerou observações da equipe liderada por Renato. Sem proteção de Marinho, Allione gerou superioridade no lado direito defensivo do Grêmio.

Por dentro, a parceria entre Rômulo e Maicon precisou ser ajustada. O próprio treinador reconheceu que ao longo da etapa final o time foi dominado no meio-campo e uma intervenção se fez necessária.

"Nós estávamos perdendo o meio-campo. Às vezes um jogador ou outro não está naquele dia. Hoje o Luan não estava naquele dia. Temos um grande grupo e quando uma peça não está funcionando, a gente tem que trocar. Eu coloquei o Matheuzinho, ele é bom na marcação e sabe jogar", disse Portaluppi.

Ofensivamente, a mobilidade do trio Marinho, Everton e Felipe Vizeu gerou espaços e foi um bom pano de fundo. Faltou, contudo, acerto na hora das finalizações. Assim como apoio maior de Luan e de outros elementos surpresa - volantes ou laterais.

"Ainda estamos longe do 100% na parte física, tática e técnica", resumiu o treinador.

A próxima partida do Grêmio na Libertadores é contra o Libertad-PAR, na terça-feira (12), em Porto Alegre. Antes disso, o time volta a atuar pelo Gauchão. No sábado, a equipe recebe o São José-POA pela nona rodada da primeira fase do estadual.

Futebol