PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Na França, interesse de Neymar no Real gera temor. Exagero de Carnaval, não

AgNews
Imagem: AgNews

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

06/03/2019 04h00

Neymar veio para o Brasil e, mesmo em meio ao tratamento de lesão no pé direito, foi uma das estrelas do Carnaval no Brasil - passou por Salvador e Rio de Janeiro, sambou até o chão e colecionou affairs. Quem esperava indignação vinda da França acabou decepcionado. O fato foi encarado de maneira surpreendentemente blasé pela mídia francesa e, aparentemente, pelo clube.

Os principais meios de comunicação responsáveis pela cobertura do Paris Saint-Germain avaliam que o espaço para repercussão da folia do craque não é necessário. Ainda mais na véspera de um importante jogo do clube - contra o Manchester United, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, hoje, às 17h (de Brasília), no Parque dos Príncipes. A opinião geral é de que o interesse em atuar no Real Madrid comentado pelo jogador merece preocupação maior.

O UOL Esporte ouviu as opiniões de jornalistas responsáveis pela cobertura diária do PSG. São profissionais do L´Equipe e Le Parisien, jornais parisienses com noticiário importante do clube, e da televisão RMC, detentora dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões. Todos têm em comum a avaliação de que o Carnaval de Neymar no Brasil já era esperado. E que o atacante brasileiro não demonstra comprometimento com o clube francês.

A visão é de que o PSG é conivente com qualquer ato de Neymar fora de campo. Já o episódio Real Madrid é considerado exagerado em meio ao importante momento do clube na temporada.

Confira a opinião dos jornalistas

Frederic Goulard, repórter do PSG no jornal Le Parisien

"O Neymar é um caso à parte. Não posso considerar normal o jogador ir à festas no Brasil em meio ao tratamento. Mas ele é assim, todos sabemos, e faz parte de um pacote. Estamos diante de um jogo importante contra o Manchester e o jornal vai dar espaço apenas para isso. De Neymar, só falamos das declarações elogiosas ao Real Madrid, pois isso sim é algo com que o PSG deve se preocupar urgentemente. Carnaval ele faz novamente o ano que vem".

"Entendo que ele não fazia exageros como esse Carnaval no Barcelona. Lá é um clube com várias estrelas, Messi, Iniesta, Xavi, Suárez. E o Neymar era só mais uma em busca de respeito. Aqui, ele é a estrela maior que o clube e os dirigentes escolheram se submeter ao que ele bem entender. Lembro de ter visto com Ibrahimovic e Verratti uma escapada de dias para Las Vegas no final de uma temporada. O cenário era diferente, já se tratava de um time campeão sem jogos importantes pela frente. Só que pegou mal. Claro que com o Neymar vai pegar, mas é só uma questão de hábito, de conhecer do que o jogador é capaz. Mesmo assim, o cenário só vai se tornar catastrófico sem o sucesso em campo".

José Barroso, repórter do PSG no jornal L´Equipe

"Aqui nós vamos ver problema do Neymar no Carnaval se, por exemplo, ele não venha jogar nas quartas de final da Liga dos Campeões. Isso pode significar falhas no tratamento, algo que precisa ser cobrado e investigado. Se está agora curtindo farra no Brasil, é uma escolha dele e algo que o PSG aceita. Claramente não é algo escondido ou proibido. O Neymar faz o que quer e não tem surpresa nisso. O clube parece não ter o menor controle sobre nada. É uma junção de problemas e a situação com Real Madrid é um exemplo. Não há uma preocupação em ignorar o tema ou alguma restrição por parte dos envolvidos. Parece incrível que ele alimente uma espculação que todos no PSG tentam contornar".

Saber Desfages, repórter da RMC

"Como Neymar pode surpreender? Nós temos dois ângulos. Um é a ida ao Carnaval. Outro, o trabalho forte em prol da recuperação no pé direito. E é uma questão de escolher qual lado na análise você vai tomar. Vejo ele como determinado a voltar a jogar rapidamente. O comportamento no Carnaval não muda esse quadro. Agora, nós não queremos falar de festas, de bagunça fora do campo, antes de jogo de Champions e, assim, não falaremos. Isso vai virar notícia de acordo com problemas posteriores. Ou com queixas do PSG. Hoje, não há esse cenário. Não vou buscar polêmica em cima disso. Vamos dar espaço para o que acontece em campo".

"Não posso atribuir sucesso de um jogador em campo a isso ou aquilo. Tenho que falar de sua atuação ou do que o PSG reclama. Não é o caso do Carnaval, mas é o caso do Real Madrid. Se o Neymar declara ter vontade de jogar lá, não sou eu que estou especulando. Nesse ponto ele fica sem defesa".

Futebol