PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Garoto que teve chuteira 'lustrada' é fã de Fred e torcia para o Fluminense

Patrick Brey comemora com Fred após dar assistência para gol do centroavante - Vinnicius Silva/Cruzeiro
Patrick Brey comemora com Fred após dar assistência para gol do centroavante Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

23/11/2018 04h00

Pouco acionado no Cruzeiro, o lateral-esquerdo Patrick Brey ganhou uma oportunidade na última quarta-feira, no triunfo sobre o Vitória. Titular pela segunda vez no ano, ele deixou o campo com uma experiência sonhada por muitas pessoas. Torcedor do Fluminense na infância, Patrick não só atuou com Fred como ofereceu assistência para gol do centroavante, ídolo que o garoto via jogar ainda antes de se profissionalizar.

Nascido em Brasília, Patrick Brey torcia para o Fluminense quando criança e acompanhou a passagem de sucesso de Fred pelo Tricolor carioca. Sua primeira partida ao lado do camisa 9 aconteceu somente em outubro, contra o Vasco, já que o lateral era pouco utilizado por Mano Menezes e o atacante passou o primeiro semestre se recuperando de lesão. Diante do Vitória, Patrick serviu o companheiro para marcar o terceiro gol do jogo. Na comemoração, ganhou uma "lustrada" na chuteira.

"Fiquei muito feliz, o Fred é um cara que eu admirava muito, gostava de vê-lo jogar. Pude jogar com ele, dar uma assistência, foi um gesto muito bonito", comentou o lateral.

Além de Fred, Patrick já teve a oportunidade de atuar com outro ídolo no Cruzeiro. Thiago Neves também jogou com o atacante no Flu e fez parte do time campeão carioca e brasileiro de 2012. Naquela época, o lateral ainda tinha 15 anos e ainda não era atleta profissional.

Patrick Brey tem 21 anos e chegou ao Cruzeiro após a disputa do Campeonato Mineiro. Além de ter feito um estadual regular pelo Tupi, de Juiz de Fora, chamou a atenção principalmente nas duas boas partidas contra o Cruzeiro, pela semifinal. Em Belo Horizonte, ganhou poucas oportunidades com Mano e enfrentou a concorrência de Egídio e de Marcelo Hermes. Das 70 partidas do clube no ano, ele jogou apenas cinco, sendo duas na condição de titular. Com contrato até 2022, sonha em dar o próximo passo e ter mais chances de mostrar seu futebol.

"Fico muito feliz de chegar onde cheguei. Era um sonho que virou realidade, fico muito feliz. Mas o jogador sempre quer jogar e evoluir sempre. Acho que foi um ano de muito aprendizado, pude aprender muito com jogadores renomados e espero que no ano que vem possa jogar mais e evoluir cada dia mais", declarou.

Futebol