PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Blogueiros: "Não será a Fifa que apagará o prazer de quem ganhou o Mundial"

Corinthians comemora título do Mundial de Clubes após vitória sobre o Chelsea, em 2012 - EFE/EPA/KIMIMASA MAYAMA
Corinthians comemora título do Mundial de Clubes após vitória sobre o Chelsea, em 2012 Imagem: EFE/EPA/KIMIMASA MAYAMA

Do UOL, em Santos (SP)

23/11/2018 04h00

Nesta quinta-feira (22), a entidade máxima do futebol resgatou a polêmica em torno dos títulos mundiais. Em sua conta no Twitter, a Fifa afirmou que o Corinthians é o único time não-europeu a ganhar o Mundial de Clubes mais de uma vez: “O único clube fora da Europa que venceu o Mundial de Clubes mais de uma vez? Só pode ser o Corinthians! Relembre como o time ficou no topo do mundo pela segunda vez, em 2012”.

A postagem, claro, reacendeu a discussão, e nós não ficamos fora dessa. Os blogueiros do UOL Esporte comentaram a polêmica e, em quase total unanimidade, afirmaram que a opinião da entidade não deve ser levada tanto em consideração assim. Segundo eles, nada vale mais do que o sentimento de cada torcedor em relação ao Mundial que ele acredita. Veja as opiniões:

ANDRÉ ROCHA

A Fifa só confirma que não tem autoridade para definir grandeza do clubes e relevância de títulos. Vai e volta nesse reconhecimento dos mundiais de clubes. É um órgão político, apenas. Bobos são os clubes que se curvam e vivem de migalhas de atenção desse antro de corrupção sem credibilidade. Os clubes que contem suas histórias e reverenciem seus ídolos. Fifa não tem torcida nem entra em campo.

AVALLONE

Não concordo com essa tuitada da Fifa sobre o Corinthians ser o único clube "não europeu" a ser campeão do mundo mais de uma vez. Já que a partir de outubro do ano passado os campeões intercontinentais foram reconhecidos como também campeões do mundo, além do Corinthians (campeão duas vezes, no formato atual) o inesquecível Santos de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Rei Pelé e Pepe também foi campeão do mundo duas vezes- em 1962, diante do Benfica, e em 1963, contra o poderoso Milan. O São Paulo, então, fez até mais, sendo três vezes campeão do mundo: em 2005 contra o Liverpool, em 1992 diante do Barcelona e e em 1993 contra o Milan, sob o comando de Mestre Telê Santana, em duas batalhas épicas.

JUCA KFOURI

É o de sempre: a Fifa pode dizer o que quiser, a CBF pode dizer o que quiser, o STF pode dizer o que quiser: a torcida festejou os títulos mundiais do Santos, do São Paulo, do Flamengo, do Grêmio. Como festejou o título brasileiro do Flamengo em 1987. Formalismos e futebol nem sempre se dão bem, o que, por outro lado, não pode transformar Taça Brasil em Campeonato Brasileiro ou Taça Rio em Mundial.

JULIO GOMES

No meu ponto de vista, esta é uma polêmica vazia. É uma questão de nomenclatura. A Fifa, que se considera dona do futebol, considera “Mundial” apenas os torneios que ela organizou. Mas todo mundo que acompanha e conhece futebol sabe que a Copa Intercontinental também era um Mundial.

MARCEL RIZZO

A Fifa tem uma relação confusa com os Mundiais. Para efeitos de estatística costuma usar somente aqueles que organizou, o de 2000 e ininterruptamente a partir de 2005. Mas ano passado, em documento do Conselho da entidade, considerou todos os Intercontinentais entre europeus e sul-americanos como Mundiais - pedido da Conmebol para dar um afago nos clubes daqui e antes já enviou documento ao Palmeiras sobre a Copa Rio de 1951. Acho que falta a Fifa deixar mais claro quando faz esses levantamentos que só considera para estatística aqueles que organizou. Porque por decisão do próprio Conselho da entidade os Intercontinentais foram considerados mundiais.

MENON

A Fifa é uma entidade desmoralizada. Quanto ao assunto, ela já teve vários entendimentos conflitantes. O que importa é o orgulho e o prazer que cada torcedor sentiu quando ganhou o "seu" Mundial.

PERRONE

A Fifa tem razão, já que ela é quem pode determinar o que é Mundial de Clubes da modalidade. Mas a polêmica é desnecessária. Vale o que cada torcedor comemorou. Se ele foi pra rua festejar um título do antigo interclubes como Mundial, vale como tal e pronto. De fato, o modelo anterior, com o título disputado entre um europeu e um sul-americano tinha status de Mundial, apesar de oficialmente não ser batizado assim pela FIFA. Intercontinental ou Mundial, no entanto, é questão de formalidade. Não deve interferir no sentimento e na comemoração de cada torcedor, que, aliás, nada tem de formal.

PVC

Acho a Fifa confusa na sua comunicação. Eu acho que a Fifa precisa se pronunciar de uma maneira mais clara sobre tudo porque a comunicação, para muita gente, é confusa. Tem gente que entende que matérias que saíram significam que ela reconheceu a Intercontinental como Mundial, aí sai publicação no site oficial da Fifa e elas entendem como documento. Eu entendo que, o que sai no site oficial da Fifa, não é necessariamente documento. Documento é documento. Ela tinha que se pronunciar porque tem muita confusão. Na minha opinião, a Fifa nunca se pronunciou de forma categórica, oficial, a favor da Intercontinental ou da Copa Rio. Ela faz movimentos, uma política aqui e outra ali. Por isso acho que ela tinha que se pronunciar de uma maneira definitiva. Para mim, campeonatos mundiais são aqueles que você não precisa explicar. O mundo inteiro sabe que a Intercontinental é reconhecida como Mundial em partes do mundo. Quando você chega na Espanha e fala: ‘o São Paulo é campeão do mundo’, o cara sabe que você está falando da Intercontinental. É a diferença em relação à Copa Rio. Eu perguntei para o jornalista Enzo Paladini na Itália: ‘Você sabe sobre o pleito do Palmeiras sobre a Copa Rio’? Ele respondeu: ‘Nunca ouvi falar disso’. Essa é a diferença, na minha opinião. Eu reconheço, como campeões mundiais, Intercontinental para frente. Mas a Fifa, pelo que entendo, só admite como oficiais os campeões mundiais de 2000 e de 2005 para cá.

RODRIGO MATTOS

Essa é mais uma das polêmicas inúteis causadas por postagens ou respostas da Fifa. Os times que ganharam o Mundial Interclubes são e sempre foram campeões mundiais porque este era um torneio que reunia os campeões dos dois continentes que importavam no futebol na época, em competição com aval de Uefa e Conmebol. Nunca precisaram de chancela da Fifa. Mas, mesmo assim, a própria Fifa reconheceu esses títulos como Mundiais em outubro de 2017 em reunião do seu órgão máximo, o Conselho. Depois disso, não houve nenhuma decisão que tivesse mudado este status, ou seja, é o que vale para a federação. Talvez um estagiário da Fifa que faz postagens em mídias sociais não tenha sido avisado, mas isso não tem a menor importância. Imprensa brasileira já perdeu muito tempo com essa discussão vazia.

Futebol