PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Wellington Silva ressurge e tem um mês para mudar imagem no Inter

Wellington Silva em ação durante treino do Inter - Ricardo Duarte/Inter
Wellington Silva em ação durante treino do Inter Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

06/11/2018 04h00

A situação de Wellington Silva caminhava para uma definição. Pouco aproveitado no Inter, o jogador retornaria ao Fluminense, clube com o qual tem mais um ano e meio de contrato. Mas uma reviravolta nas últimas semanas pode alterar o quadro. Melhor aproveitado, ele tem um mês para mudar a imagem dos primeiros momentos da passagem por Porto Alegre.

Wellington, de 25 anos, já chegou lesionado. Com problema no púbis que o fez perder uma transferência para o futebol francês, o jogador demorou para conseguir atuar. Apresentado em janeiro, só foi estrear no meio de fevereiro. E a rotina de entradas e saídas teve, então, início.

Lesões, oscilação e rendimento aquém do esperado quando receberia chance atrapalharam a trajetória do atleta. Reflexo disso foram os parcos minutos em campo. Apenas 13 partidas, 258 minutos e uma vez como titular em dez meses de clube.

Mas ao fim de todos os quadros clínicos que se apresentaram, Wellington cresceu. Na reta final do Campeonato Brasileiro, ultrapassou concorrentes e passou a ser uma das primeiras opções no time. Entrou nos quatro últimos jogos, contra São Paulo (cinco minutos), Santos (seis minutos), Vasco (15 minutos) e Atlético-PR (29 minutos).

Foi exatamente neste último jogo que contribuiu diretamente para virada. Quando foi chamado para o lugar de Leandro Damião, o jogo estava 0 a 0. Mesmo após o gol atleticano, ele passou a ser a principal arma ofensiva da equipe. Do lado esquerdo, procurou espaço, driblou, correu, cavou faltas e cruzou para o gol de empate, feito por Rodrigo Moledo.

Já nos acréscimos, recebeu a bola e cruzou para Rossi, que entraria livre mas sofreu pênalti convertido por D'Alessandro no lance que definiu a vitória.

Aos poucos ganhando espaço no grupo, Wellington já começa a provocar outra avaliação do comando do clube, segundo apurou o UOL Esporte. Antes praticamente descartado, o jogador já é visto como potencial de desenvolvimento caso possa ser mantido por meio de renovação de empréstimo.

Dependerá de algo inédito para que o Inter opte de fato por sua manutenção: sequência. Caso entre contra o Ceará, no próximo domingo, o meia-atacante com passagem pelo Arsenal, da Inglaterra, completará sua maior série de partidas pelo Colorado: cinco. Vencendo a barreira da utilização, sem lesões ou queda de rendimento, terá um mês para conquistar o direito de permanecer no clube gaúcho.

Futebol