PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cristiano Ronaldo: "Eu mereço vencer a Bola de Ouro"

Laurence Griffiths/Getty Images
Imagem: Laurence Griffiths/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

30/10/2018 09h45

Cristiano Ronaldo afirma que vencer pela sexta vez o prêmio Bola de Ouro não é uma obsessão em sua carreira. Ainda assim, o português disse, em entrevista à revista "France Football", merecer vencer a honraria, que terá seu vencedor anunciado ainda no final deste ano.

"Eu disse muitas vezes que ganhar pela sexta vez a Bola de Ouro não é uma obsessão. Eu já sei, no fundo do meu coração, que sou um dos melhores jogadores da história. Claro que eu quero ganhar a sexta Bola de Ouro. Seria mentira dizer o contrário. Eu trabalho para isso, como eu trabalho para marcar gols e ganhar jogos sem ser uma obsessão. Acho, sim, que mereço vencer a Bola de Ouro", afirmou.

Leia mais:

Neymar chama CR7 de monstro e Messi de ídolo: "me vejo parecido com eles"
CR7 critica presidente do Real por saída e desabafa sobre caso de estupro
"Novo Lewandowski" ofusca CR7 na Itália e vira estrela em menos de 10 jogos

Se levar o prêmio de melhor jogador da Fifa em consideração, a vida de Cristiano Ronaldo não deverá ser fácil. Na premiação da entidade máxima do futebol, o português foi superado pelo croata Luka Modric, ex-companheiro de Real Madrid.

Na mesma entrevista, Cristiano Ronaldo falou sobre a atual situação de sua carreira. O jogador disse que apenas ele e Lionel Messi são capazes de manter o alto nível por mais de 10 anos. "Na minha idade, e falo isso, com todo respeito, os jogadores vão para a China, Emirados Árabes, Índia para terminar a carreira, sem precisar manter o nível".

"Não digo que sou o melhor, digo que sou diferente. E talvez seja por isso que estou no topo da montanha nos últimos 12 anos".

Convivendo com uma acusação de estupro, Cristiano Ronaldo afirmou que sua mãe, Dolores Aveiro, está inconsolável com o momento vivido pelo português. "Conversei com a minha mulher. Meu filho, Cristiano Jr., é muito pequeno para entender. As que estão sofrendo mais são minha mãe e minhas irmãs. Estão muito chateadas. É a primeira vez que as vejo assim. Sou eu que tenho que acalmá-las quando deveria ser o contrário", prosseguiu.

"Minha mãe está inconsolável. Tenho conversado muito com ela. Sinto-me mal por causa dela. A opinião pública é diferente, tem muita gente que gosta de mim e muita gente que me detesta. Mas quando isso acabar, quero ver o que vão dizer", completou.

Futebol