PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dono do Chelsea quer que torcedores preconceituosos visitem Auschwitz

JEAN-CHRISTOPHE BOTT/AP
Imagem: JEAN-CHRISTOPHE BOTT/AP

Do UOL, em São Paulo

10/10/2018 19h40

Dono do Chelsea, o russo Roman Abramovich quer adotar uma nova iniciativa para combater o racismo e o antissemitismo por parte dos torcedores de seu clube. O mandatário, que é judeu, quer substituir as punições já existentes por visitas dos fãs preconceituosos a Auschwitz, o mais conhecido campo de concentração utilizado pela Alemanha nazista.

Segundo o jornal The Sun, a diretoria do clube inglês quer substituir as punições dando ao torcedor preconceituoso as opções de participar de um curso educativo, visitar Auschwitz ou, para quem não aceitar, devolver os ingressos anuais e não assistir aos jogos do Chelsea.

Dirigente dos Blues, Bruce Buck afirmou que as punições usadas hoje não fazem o torcedor preconceituoso rever seus atos. “Se você apenas puni-los, nunca irão mudar de comportamento. Essa nova política dá a chance de pensar no que foi feito”, disse ao jornal inglês.

“Anteriormente, nós puniríamos os torcedores por cerca de três anos. Agora, nós dizemos ‘você fez algo errado, mas tem opções. Podemos te banir ou você pode refletir sobre o que fez de errado”, acrescentou.

A iniciativa de promover visitas a Auschwitz, antigo campo de concentração na Polônia, já aconteceu em 2017, quando um grupo de torcedores, acompanhado de representantes do Chelsea, foi até o local.

Futebol