PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Centurión é acusado de treinar bêbado e rebate presidente do Racing

Ex-São Paulo, o meia Centurión foi a grande contratação do Racing em 2018 - Pedro Vale/AGIF
Ex-São Paulo, o meia Centurión foi a grande contratação do Racing em 2018 Imagem: Pedro Vale/AGIF

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/08/2018 22h15

O meia-atacante Ricardo Centurión foi protagonista de mais uma polêmica na Argentina. Desta vez, ele foi acusado pelo presidente do Racing, clube que defende, de ter chegado bêbado no treinamento do último sábado. O jogador rebateu e viu o técnico Eduardo Coudet defendê-lo.

Victor Blanco é o mandatário do Racing e acusou Centurión durante entrevista à rádio argentina AM 770: "Centurión bebeu demais e não foi ao treinamento de sábado. Ele tem que tomar consciência e cuidar da imagem dele. Tem obrigações a cumprir. Se bebe ou vai dormir tarde, não vai render no outro dia. Centurión cometeu um erro. Passarei aos advogados para ver qual sanção será aplicada. Ele é jogador do Racing dia e noite".

A resposta do ex-jogador do São Paulo foi dada à rádio Continental, um dia após ser deixado no banco no jogo de estreia do Campeonato Argentino contra o Atlético Tucumán. "Eu não saí. Fiquei em casa e fui treinar no dia seguinte. Ele não me viu e não sei quem falou com ele. Cheguei ao clube, tomei café da manhã e me apresentei na fisioterapia por causa de uma dor. E depois treinei, separado por dez ou 15 minutos, para ver como estava. A prova mostrou que não tinha lesão e depois o técnico (Coudet) tomou a decisão", ponderou.

"Talvez Coudet ainda estivesse bravo comigo por ter jogado a garrafa outro dia (bravo com substituição), mas não era nada com ele. Agora, só soube que sairia do time no estádio do Tucumán. Claro que fiquei bravo, mas por dentro. Ficar no banco me surpreendeu, mas está tranquilo. Com Blanco, quando encontrá-lo, vou perguntar: 'Por que sanções?' E se bebi, por que tenho que ser multado? Dentro do clube não fiz nada errado. Eu tinha uma dor e fui tratar. E ainda corri cinco quilômetros depois. É só ele olhar o GPS", prosseguiu Centurión.

O Racing empatou por 2 a 2 com o Tucumán e, apesar da chateação do meia por não ter sido titular, o técnico Eduardo Coudet preferiu defender o jogador das acusações do presidente Victor Blanco: "Centurión não foi titular porque eu vi outros em melhor fase do que ele. Eu fiz todo o possível para contratá-lo e o traria cem, mil vezes mais. Que isso fique claro a todos. Temos que compreender que jogadores têm uma vida pessoal. E como qualquer outra pessoa, têm dias bons e ruins. Se você tem um problema pessoal e pode parar e tomar um ar, que bom. É muito difícil ver alguém te repreender em seu pior dia. Sabe o que é jogar quando se tem um problema? O contrataria mais mil vezes porque responde ao que quero e não falha comigo em nenhum aspecto. Ele tem um compromisso comigo e com o grupo".

Futebol