PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ascensão após saída de Cuca deixa Palmeiras esperançoso com futuro de Borja

Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro - Daniel Vorley/AGIF
Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

17/12/2017 04h00

Ficou longe de ser um ano memorável para Borja. Na verdade, o atacante colombiano tem mais chances de figurar em uma lista de decepções do mercado do que em um levantamento de boas contratações. Mas a ascensão do jogador após a saída de Cuca animou o Palmeiras.

Com a troca de treinador, a análise interna é a de que o atacante passou a ter mais chances e um desempenho melhor. A visão é baseada muito mais no dia a dia do atleta, nos treinos, do que propriamente em campo.

Com Alberto Valentim, Borja passou a ter mais chance e teve uma sequência na titularidade até mesmo com Deyverson fazendo gols.

Outra mudança do auxiliar em relação ao ex-treinador foi a forma de pensar o jeito de armar o time. Com Cuca, o colombiano precisaria correr o campo inteiro atrás da bola e se dedicar muito à marcação. Com Valentim, a ideia era que a equipe proporcionasse mais oportunidades ao estilo de jogar do atacante.

Também por isso, a posição de camisa 9 não foi colocada na lista de prioridades para reforços. A lateral esquerda, o meio-campo e o gol foram as que receberam mais atenção da diretoria.

Miguel Borja foi contratado por cerca de R$ 35 milhões, disputou 43 partidas e fez 10 gols. Todo o investimento foi feito pela Crefisa, que ainda não colocou dinheiro em contratações para 2018.

Esporte