PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Del Nero admite pressa inicial por árbitro de vídeo: "Difícil para 2017"

Presidente da CBF, Marco Polo Del Nero discursa em evento na sede da entidade - Ricardo Stuckert/CBF
Presidente da CBF, Marco Polo Del Nero discursa em evento na sede da entidade Imagem: Ricardo Stuckert/CBF

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

20/10/2017 11h58

Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Marco Polo Del Nero admitiu que se precipitou ao cobrar a presença de árbitros de vídeos em jogos do Campeonato Brasileiro. O dirigente, que se chamou de "leigo", pediu que a tecnologia fosse implantada logo após gol Jô, centroavante do Corinthians, marcar gol a ajuda do braço em jogo contra o Vasco.

"Acho que sim. Era um leigo ali falando e querendo resolver tudo. Mas está ficando muito difícil para este ano. São muitas questões a se analisar", disse Del Nero, nesta sexta-feira (20).

"São muitos pontos para observarmos. Antes, eram dez rodadas. Agora, para fazer em duas ou três rodadas, pode influenciar muita coisa. Vou sentar e conversar com os clubes. E também tem questão de cabo de fibra ótica, equipamentos. Está difícil", completou.

A declaração foi dada em entrevista coletiva após a convocação da seleção brasileira para amistosos contra Japão e Inglaterra. O gol em questão aconteceu em jogo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro e deu a vitória por 1 a 0 ao Corinthians sobre o Vasco.

Enquanto o árbitro de vídeo não é implementado no nacional, um brasileiro será o primeiro árbitro de vídeo da história da Copa Libertadores da América. Trata-se de Sandro Meira Ricci, que vai trabalhar no duelo entre River Plate e Lanús, válido pelas semifinais da competição continental.

Por fim, no rápido papo com jornalistas no saguão da sede da CBF, Marco Polo ainda comentou o impasse pelos direitos de transmissão em TV aberta para os amistosos da seleção em novembro. "Vamos sentar e resolver isso no máximo até segunda-feira (23)".

Futebol