PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fla e Flu contrataram quase 2 times em 2016: veja como estão esses reforços

Reforços de Flamengo e Fluminense em 2016 oscilam em importância nos times - Montagem/UOL
Reforços de Flamengo e Fluminense em 2016 oscilam em importância nos times Imagem: Montagem/UOL

Bernardo Gentile e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/06/2016 06h00

Início de temporada é sinônimo de muitas contratações. Flamengo e Fluminense deram razão à premissa e apresentaram muitas caras novas aos seus torcedores. O Rubro-negro foi quem mais se reforçou: 11 contratações até o momento, sendo que nove seguem no clube.

O Fluminense, por outro lado, contratou oito atletas – Diego Souza e Felipe Amorim já saíram. Dos seis que permanecem nas Laranjeiras, a maioria ainda luta por uma vaga no time titular. Entre todos os 15 reforços, apenas seis serão titulares no clássico deste domingo, em Natal.

O UOL Esporte detalhou a situação de cada reforço de Flamengo e Fluminense. Veja como estão cada um desses jogadores.

Willian Arão - Pedro Martins/AGIF - Pedro Martins/AGIF
Imagem: Pedro Martins/AGIF

Willian Arão: O jogador chegou ao Flamengo repleto de polêmicas após se desvincular do Botafogo na Justiça. O caso ainda corre nos tribunais do país e deve ser resolvido no fim do ano. Mas ele pode ser considerado o principal reforço do Flamengo. Não só é titular absoluto, como ganhou faixa de capitão.

Rodinei: Assim como Arão, foi uma das cartadas mais certas da diretoria do Flamengo na temporada. O lateral direito barrou imediatamente Pará e acabou a saudade dos mais saudosistas com Léo Moura. O jogador é um dos mais regulares e tem agradado comissão técnica e torcida.

Alex Muralha: Contratado por cerca de R$ 4 milhões, o goleiro chegou ao Flamengo e logo foi para a reserva. Até houve um início de rodízio, mas logo Paulo Victor assegurou a titularidade. Uma lesão do companheiro fez com que Muralha ganhasse nova oportunidade, dessa vez no Brasileiro. Será difícil voltar para o banco.

Rafael Vaz: Com a saída de Wallace, lesão de Juan e suspensão de Cézar Martins, o Flamengo se viu desesperado pela chegada de um zagueiro. Ex-Vasco, Rafael Vaz foi contratado e assumiu a titularidade. Até agora, tem deixado boa impressão e segue no time principal.

Rever: O zagueiro chegou ao Flamengo poucos dias depois de Rafael Vaz. Assim como o companheiro, ele já assumiu a titularidade. E logo na estreia conquistou a torcida ao marcar o gol da vitória sobre o Cruzeiro, no Mineirão. Os dois seguem no time principal, mas logo terão as companhias de Juan e Donatti.

Mancuello: Atrás de um camisa 10 desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, o Flamengo apostou caro no argentino do Independiente: R$ 12 milhões. Mancuello dava mostras de que se encaixaria no time, mas uma lesão mudou o rumo da prosa. O apoiador não conseguiu repetir o desempenho e está na reserva.

Cuellar: o colomciano vive situação bem semelhante a de Mancuello. Chegou após um investimento de aproximadamente R$ 8 milhões e assumiu rapidamente a titularidade. Uma lesão atrapalhou a sequência no Fla. Para piorar, viu o contestado Márcio Araújo dar conta do recado. Barrado, é opção no banco.

Chiquinho: Contratado sem grandes expectativas, o jogador tem feito o que se espera dele: compor elenco. Pode ser aproveitado no meio de campo ou na lateral esquerda, onde teve mais oportunidades durante lesão de Jorge.

Fernandinho: Diferentemente de Chiquinho, Fernandinho foi contratado para brigar por uma vaga no ataque. Até fez isso no início, mas não mostrou grande potencial e tem sido pouco aproveitado no Flamengo.

Henrique - Mailson Santana/Fluminense FC - Mailson Santana/Fluminense FC
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Henrique: Entre todos os contratados, o zagueiro foi o único que assumiu a titularidade desde o início. Bem verdade que os primeiros jogos foram ruins, com falhas em lances decisivos para o adversário. Se firmou ao lado de Gum entre os titulares.

Richarlison: Contratado por R$ 10 milhões, o jovem atacante chegou para ser o companheiro de Fred. Se destacou na pré-temporada e sofreu uma lesão que o deixou de fora dos gramados por meses. Quando voltou logo teve que assumir a vaga do ex-camisa 9 e não agradou. Foi barrado por Magno Alves, de 40 anos.

Renato Chaves: O Fluminense se viu na condição de contratar bastante zagueiros. Henrique e Renato Chaves chegaram, mas tiveram um início difícil. O primeiro se recuperou, mas o segundo não deixou o banco de reservas.

Willian Matheus: Chegou para suprir a deficiência na lateral esquerda, já que Giovanni, Léo Pelé e Ayrton não foram bem. O jogador fará estreia neste domingo, mas ainda deve ficar no banco de reservas. Por enquanto, Wellington Silva segue improvisado.

Maranhão: Destaque da Chapecoense no Catarinense, o atacante entrou na mira do Fluminense, que rapidamente fechou a contratação. O problema é que a posição de Maranhão conta com vários jogadores: Marcos Júnior, Osvaldo e até Richarlison.

Dudu: Com Felipe Amorim sem qualquer utilidade no elenco, o Fluminense decidiu apostar no jovem Dudu. O apoiador era considerado uma joia na categoria de base, mas não conseguiu brilhar ao ser profissionalizado pelo Coritiba. Não mostra bom desempenho nos treinamentos.

Futebol