PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dunga responde Romário e estuda ação judicial após críticas do senador

Dunga (foto) não gostou das críticas de Romário ao seu trabalho e às convocações - Getty Images
Dunga (foto) não gostou das críticas de Romário ao seu trabalho e às convocações Imagem: Getty Images

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/09/2015 17h11

Dunga não gostou das críticas do senador Romário sobre as recentes convocações do comandante da seleção brasileira. E resolveu responder. Em nota divulgada pela assessoria da CBF na tarde desta quarta-feira, o treinador informou que seus advogados “estão estudando as medidas legais cabíveis" após as declarações do Baixinho.

Romário havia feito duras acusações contra Dunga e o diretor de seleções Gilmar Rinaldi em entrevista ao jornal italiano "Gazzetta Delo Sport" no início desta semana. O senador disse que não era hora do treinador à frente da equipe e que "há interesses por trás" das convocações.

Crítico como de costume, Romário ainda disse que o "amigo" Dunga estaria envolvido "nessa sujeira da CBF".

Confira a resposta de Dunga na íntegra:
“Como qualquer brasileiro, o Senador Romário tem o direito de criticar as convocações para a Seleção Brasileira. Todavia, não tem o direito de pôr em dúvida a honestidade e a credibilidade dos critérios que norteiam a escolha dos jogadores, principalmente quando afirma, sem qualquer elemento de prova que possa amparar tais afirmações, que os responsáveis pelas convocações atenderam a outros critérios que não o técnico.
No que me diz respeito, repudio as declarações de quem se disse meu amigo, mas não é. Amizade pressupõe respeito, lealdade e estrita confiança na integridade de quem dedicamos aquele sentimento. Por isso, o Senador Romário nunca esteve no meu rol de amigos e ele fica na obrigação, sobre o que disse, de apresentar fatos.
No que diz respeito ao Gilmar, meu relacionamento com ele não é recente e ele só me deu exemplos de capacidade técnica e honestidade profissional. Ele, sim, é meu amigo de longa data, com quem mantenho harmoniosa convivência profissional e de confiança recíproca. Posso dar meu testemunho do absurdo das insinuações que o Senador deixou entrever de suas declarações no que diz respeito à sua pessoa.
Por fim, informo que nossos advogados estão estudando as medidas legais cabíveis, em face do Senador e de suas injurídicas declarações.”

Futebol