PUBLICIDADE
Topo

Grêmio vai manter imagem de Anderson na Arena. Mesmo com ida para o Inter

Imagem de Anderson marcando gol em 2005 seguirá na Arena mesmo após "traição" - Jeremias Wernek/UOL
Imagem de Anderson marcando gol em 2005 seguirá na Arena mesmo após 'traição' Imagem: Jeremias Wernek/UOL

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

03/02/2015 15h31

O meia Anderson foi anunciado como reforço do Internacional nesta terça-feira (03), mas estampa um painel na casa do Grêmio. Herói do título da Série B do Brasileirão de 2005, ele está ao lado de outros jogadores históricos do tricolor e não sairá de lá mesmo com a ‘traição’ consumada agora. A diretoria azul garante que não irá trocar a imagem ou tapar o desenho que remete ao jogo com o Náutico.

O desenho de Anderson, camisa 17 às costas, executando um chute de pé esquerdo que garantiu a improvável vitória no jogo conhecido como ‘Batalha dos Aflitos’ repousa em um painel gigante, do lado direito do túnel de acesso ao gramado da Arena. Perto dele aparecem figuras de Danrlei, Dinho e Jardel – heróis do título da Libertadores de 1995.

“Não existe nenhuma chance de mexermos lá, está documentado. Não vamos mudar nada, é história. Nos orgulhamos da nossa história”, disse Romildo Bolzan Jr, presidente do Grêmio. “O que o Anderson fez pelo Grêmio jamais será esquecido, ninguém bota fora a história construída por ele aqui. A formação dele como ser humano”, completou o dirigente.

A ‘traição’ por trocar o azul pelo vermelho também não é reclamada. O Grêmio, inclusive, afirma ter sido procurado por empresários no final de 2014 oferecendo Anderson. A situação financeira do clube impediu qualquer tratativa e assim, resta a figura de Giuliano – campeão da América com o Inter em 2010 –, como troco ao arquirrival.

“É algo normal, do futebol. Nós temos o Giuliano aqui e ele também fez um gol importante (contra o Estudiantes, nas quartas de final da Libertadores de 2010). Recebemos oferta a respeito do Anderson, mas não tínhamos condições de bancar o que ele pretendia. A reforma econômica do Grêmio já estava em andamento”, revelou Bolzan Jr.

Aos 26 anos, Anderson assinou contrato de quatro temporadas com o primeiro clube a sofrer um gol seu: foi no Gre-Nal do Brasileirão de 2004, disputa no estádio Olímpico, onde o Grêmio perdeu por 3 a 1. No Beira-Rio ele receberá R$ 500 mil mensais e mais R$ 4 milhões de luvas. A rescisão de comum acordo com o Manchester United facilitou o acordo com o Internacional.

Futebol