PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Seis coisas que você não verá mais na seleção brasileira com Dunga

Selfie feita um dia antes da Copa foi para as redes sociais. Dunga orientou elenco a controlar internet para não gerar qualquer insinuação de descompromisso - Reprodução/Instagram
Selfie feita um dia antes da Copa foi para as redes sociais. Dunga orientou elenco a controlar internet para não gerar qualquer insinuação de descompromisso Imagem: Reprodução/Instagram

Bruno Thadeu

Do UOL, em Viena (Áustria)

16/11/2014 06h00

Dunga ganhou carta branca da CBF para implantar o processo de reconstrução da seleção brasileira, devastada depois da derrota por 7 a 1 para a Alemanha. O treinador ouviu um único pedido do presidente da entidade, José Maria Marin: vencer o máximo de jogos amistosos para recuperar a imagem da equipe.

O treinador já avisou que vai encarar cada jogo como uma decisão de Copa do Mundo. Para reforçar o conceito de atenção total à seleção e evitar insinuações de descompromisso, ele determinou algumas regras. Confira:

1 - Celebridades nunca mais pisarão no campo durante os treinos da seleção

Luciano Huck - Folha Imagem - Folha Imagem
Imagem: Folha Imagem

Enquanto Dunga for técnico, não se repetirá cena semelhante à ocorrida durante preparação da seleção para a Copa, quando Luciano Huck entrou no campo da Granja Comary. O apresentador da Rede Globo estava acompanhado de um jovem com deficiência física e foi recebido pelos atletas.

Dunga determinou que apenas profissionais da imprensa terão acesso aos treinos, ainda assim com certa distância. O treinador regularmente cita como exemplo a não ser seguido a preparação da seleção na Copa de 2006, na Alemanha, quando a seleção treinava para milhares de torcedores, com direito a invasão e transmissões à beira do campo.

2 - Psicólogo

Dunga aboliu a figura do psicólogo na seleção, que existia até a Copa do Mundo. O treinador considera que o “campo é o melhor divã”. Em vez de profissionais de psicologia, a CBF criou o cargo de “ex-jogador conselheiro”.

O trabalho funciona da seguinte maneira: a cada excursão da seleção, um ex-atleta renomado viaja com o elenco. A ideia é passar orientações e experiências aos atletas. Nesta turnê pela Europa para amistosos contra Turquia e Áustria, o ex-zagueiro Oscar foi o escolhido para acompanhar o grupo. Na viagem anterior, o ex-ponta Edu esteve com os atletas.

3 - Farra no Instagram

Neymar e Daniel Alves - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Os jogadores têm que controlar o uso das redes sociais quando estiverem representando a seleção. Eles não estão proibidos de publicar fotos, mas foram orientados a não vazar o que acontece dentro da concentração. Neymar e David Luiz não farão mais caras e bocas no Instagram quando estiverem com a camisa da seleção.

4 - Visual extravagante

Os jogadores podem usar brincos, bonés, fones gigantes de ouvidos e chinelo. Mas Dunga quer tenha momentos certos para uso. A cartilha aplicada pela comissão técnica orienta os atletas a se apresentarem, por exemplo, com roupas sociais e paletós. Um jogador não será multado se chegar à seleção com roupa extravagante. Mas Dunga pede “bom senso” nas atitudes dos atletas.

5 - ‘Embromation’ no hino

Hino - AP - AP
Imagem: AP

Os jogadores que costumam se enrolar no hino nacional foram avisados a decorar a letra antes das partidas.

6 - Papo reservado com as TVs

Dunga avisou à assessoria de imprensa da CBF que está proibida qualquer entrevista exclusiva com jogadores da seleção durante período de jogos. O recado vale para todas as emissoras, sem exceção. Apenas nos dias de folgas, os atletas têm permissão para conversar reservadamente com os jornalistas.

Para não criar indisposição com a mídia, a CBF tem oferecido aos jornalistas até cinco atletas por dia para entrevistas com tempo limitado.

Futebol