Topo

Futebol


Terceiro corintiano preso em Oruro é identificado em briga, diz jornal

Do UOL, em São Paulo

30/08/2013 11h13

Mais um corintiano que estava preso em Oruro, na Bolívia, acusado pela morte do jovem Kevin Espada na partida do Corinthians contra o San José, em fevereiro, foi identificado entre os torcedores que participaram da briga com vascaínos no Estádio Mané Garrincha, no último domingo (25).

De acordo com o jornal Lance!, a ABPC (Associação Brasileira dos Peritos em Criminalística) analisou mais quatro fotos enviadas pela publicação e chegou à conclusão de que Fabio Neves Domingos, o Dumemo, integrante da torcida Pavilhão Nove, estava no meio da confusão em Brasília.

“Como resultado do exame de comparação de estruturas, proporções e características faciais individualizadoras, conclui-se que o indivíduo que aparece na imagem “C” (na arquibancada do Mané Garrincha), sem camisa, com corrente no pescoço, com tatuagem no peito e usando óculos na cabeça é a mesma pessoa que aparece nas imagens padrões”, conclui a análise assinada por Orlando Júnior e João Braz Neto, ex-presidentes da ABPC.

Durante a semana, o jornal O Estado de S.Paulo identificou outros dois torcedores corintianos que estiveram quase seis meses presos na Bolívia envolvidos na confusão do jogo contra o Vasco. Segundo a publicação, os primeiros identificados foram Leandro Silva de Oliveira, o Soldado, e Cleuter Barreto Barros, o Manaus, ambos da torcida Gaviões da Fiel. Também foi identificado Raimundo Cesar Faustino, vereador de Francisco Morato pelo PT.

A Federação Paulista de Futebol proibiu Soldado, Manaus e Raimundo de frequentar os estádios de São Paulo pelo prazo de 90 dias e estão sendo indiciados pela polícia no DF por infração ao Estatuto do Torcedor, podendo ser condenados a três anos de suspensão em todos os estádios do Brasil.

Futebol