PUBLICIDADE
Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão


Ação do Dia da Mulher quase não aconteceu no Allianz por causa da Crefisa

Abertura da partida entre Palmeiras e Ferroviária com ação pelo Dia Internacional da Mulher no Allianz Parque - ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Abertura da partida entre Palmeiras e Ferroviária com ação pelo Dia Internacional da Mulher no Allianz Parque Imagem: ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre

10/03/2020 04h00

Uma ação referente ao Dia da Mulher, realizada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) no último final de semana, criou certo ruído entre a entidade, o Palmeiras e a Crefisa. Tudo porque as camisetas usadas na campanha tinham a logomarca da Sicredi, uma instituição financeira concorrente da que patrocina o clube. Para todos os efeitos a ação aconteceu como planejado, antes do jogo de sábado (7) entre Palmeiras x Ferroviária, mas não foi mostrada nos telões do estádio nem comunicada pelo Alviverde nas redes sociais.

A campanha já havia sido aprovada pelo Palmeiras (e por todos os outros clubes) em reunião na sede da FPF, mas corria o risco de não acontecer no Allianz Parque minutos antes de a bola rolar. Por fim ficou combinado de que a ação aconteceria normalmente, mas sem repercussão por parte do clube. Em contato com a De Primeira, a Crefisa negou ter criado objeções.

A campanha "O apito é delas" levou 22 mulheres em cada jogo da última rodada do Paulistão. Elas entraram com os jogadores e fizeram um "apitaço" para jogar luz sobre a falta de equidade entre gêneros no futebol. O Palmeiras fez suas próprias ações referentes ao Dia da Mulher, tendo sido a maior delas um treino aberto do time feminino. (Por Arthur Sandes e Ricardo Perrone)

UOL de Primeira