Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão


SP aceitou software de graça com condição de manter Pinotti na diretoria

Vinicius Pinotti, diretor de futebol do São Paulo, durante um treino do clube no CT da Barra Funda - Marcello Zambrana/AGIF
Vinicius Pinotti, diretor de futebol do São Paulo, durante um treino do clube no CT da Barra Funda
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

25/10/2017 04h00

O São Paulo condicionou o uso de um software de forma gratuita à manutenção de Vinicius Pinotti, hoje no comando do futebol, na diretoria tricolor. O toma lá dá cá aconteceu em 2016, quando Luís Roberto Demarco, hoje oposicionista, ofereceu ao clube um programa destinado ao chat entre associados do programa de sócio-torcedor e funcionários do Morumbi. Em um email, Demarco condiciona a cessão sem custos do produto à manutenção de Vinicius Pinotti na administração (veja o email aqui). À época no comando do marketing tricolor, o hoje diretor de futebol era sócio de Demarco em uma empresa sem ligação com o esporte.

O São Paulo aceitou a condição imposta e passou a utilizar o produto. Quase um ano depois, descontente com os rumos da administração, Demarco decidiu cobrar pelo uso da ferramenta e foi à Justiça. Para se defender, o clube se apoia na permanência de Pinotti, dizendo que "as partes negociaram o comodato gratuito do software Orbium, por prazo indeterminado, condicionado à permanência de Vinicius Pinotti na Diretoria do SPFC". O clube diz, inclusive, que usa as bases negociais contidas no email por entender que “todos os elementos do contrato de comodato” constam no correio eletrônico. O São Paulo não reconhece a dívida e isenta Pinotti de qualquer participação no negócio e na cobrança. Já Demarco promete desistir de receber o valor se a gestão Leco responder uma carta enviada por ele em agosto, na qual cobra transparência da diretoria. (Por Pedro Lopes)

SP sofre cobrança de impostos por terreno em São Vicente

O São Paulo está sofrendo cobrança judicial de R$ 150 mil por não pagar IPTU de um terreno localizado em São Vicente.

UOL de Primeira