PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Por desejo de Coutinho, Barça chega a 145 milhões de euros em cartada final

Philippe Coutinho em amistoso contra o Wigan - Alex Livesey/Getty Images
Philippe Coutinho em amistoso contra o Wigan
Imagem: Alex Livesey/Getty Images

Do UOL, em Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo

24/08/2017 04h00

Para atender a um pedido do próprio Philippe Coutinho, o Barcelona chegou à sua quarta proposta para tirar o meia do Liverpool. O UOL Esporte apurou que a cartada, que chega a 145 milhões de euros e deve ser a última, é feita a pedido do próprio jogador brasileiro, que já entregou pedido formal à diretoria do clube inglês para que o libere para a Catalunha.

Na avaliação do clube espanhol, mesmo que não seja aceita, a oferta serve para agradar Phillipe Coutinho já visando uma investida futura pela contratação nas próximas janelas de transferência na Europa.

O Liverpool, enquanto isso, segue trabalhando com o discurso de que Coutinho não está a venda e não será liberado. O próprio Barcelona já não mostra mais otimismo em relação à contratação e tem no argentino Angel Di Maria, do PSG, o principal plano B. (por Pedro Lopes)

SP descarta contratar chefe de comissão técnica

Com a crise do São Paulo no Campeonato Brasileiro, o presidente, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o diretor executivo de futebol, Vinícius Pinitto, cogitaram a contratação de um um chefe para a comissão técnica do time profissional neste ano. Até mesmo um convite para Raí integrar o departamento foi cogitado. No entanto, tal possibilidade foi descartada.

Os dirigentes acreditam que têm a administração do elenco na mão. Além disso, o treinador Dorival Júnior está satisfeito com a maneira como o departamento é administrado. Quando chegou ao clube, o técnico também já havia deixado claro que não gostaria muito de trabalhar com um auxiliar do clube - tanto que Pintado fora afastado da equipe profissional na ocasião. (por José Eduardo Martins)

 Zé Ricardo já não queria dirigir time no clássico

Zé Ricardo - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Zé Ricardo conseguiu praticamente tudo que queria na negociação com o Vasco. Além do contrato (CLT) até o final de 2018, o novo técnico cruzmaltino já pensava que não seria bom comandar o clube no jogo do próximo sábado, contra o Fluminense. E assim será. Valdir Bigode estará no banco de reservas da equipe no Maracanã. Na cabeça de Zé, um tropeço na estreia, sem tempo para treinar, comprometeria o novo trabalho. (por Pedro Ivo Almeida)

Atlético deve jogar no Mineirão para evitar multa de R$ 200 mil

O começo ruim de Campeonato Brasileiro como mandante fez o Atlético-MG levar algumas partidas para o Mineirão. Após a derrota para o Bahia, pela 15ª rodada, além de trocar o técnico Roger Machado, a diretoria do Galo resolveu levar os duelos com Corinthians, Flamengo e Jorge Wilstermann, esse último pela Libertadores, para o Mineirão. Mas antes do duelo continental, a diretoria atleticana mudou de ideia e manteve o duelo com o Flamengo para o Independência. Como havia assinado contrato para três partidas, o clube tem de pagar uma multa de R$ 200 mil para a concessionária que administra o estádio. 

Para evitar o pagamento, o Atlético negocia levar mais uma ou duas partidas do Brasileirão para o Mineirão. A diretoria do Galo evita levar para o estádio as partidas com expectativa de público abaixo dos 30 mil torcedores. Como já foi mandante em 11 oportunidades, o Atlético tem apenas mais oito partidas para disputar em casa neste Brasileiro. O próximo compromisso é contra o Palmeiras, dia 9/9 (sábado), às 16h. Os demais adversários que o Galo ainda vai receber são Vitória, São Paulo, Chapecoense, Botafogo, Atlético-GO, Coritiba e Grêmio. (por Victor Martins)

PSG: Thiago Silva, o tutor de Wendel

Wendel do Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

O PSG é o time de Neymar e o clube da moda após as cifras gastas em abundância nas contratações da atual janela de transferências. Mas não foi somente isso que atraiu o jovem Wendel e seus representantes. O meia do Fluminense tem forte ligação com o capitão do time francês, Thiago Silva, também criado no Tricolor carioca. O chamado do "tutor" balançou o jovem de apenas 19 anos. Os dois conversaram bastante recentemente, durante as férias de Thiago no Rio de Janeiro.

Mantida sob sigilo, a conversa entre Fluminense e o PSG por Wendel evoluiu nos últimos dias, quando o presidente do clube das Laranjeiras, Pedro Abad, esteve na capital francesa juntamente do empresário do atleta, Carlos Henrique Brasil. Os dois, inclusive, assistiram à goleada do time por 6 a 2 sobre o Toulouse. Wendel ainda era alvo dos mercados português e russo, mas dificilmente tomará outro rumo que não a França. O único detalhe a ser resolvido está na data de ida do jogador para a Europa. (por Pedro Ivo Almeida)

Inter não negocia zagueiro, que custou R$ 311 mil por jogo

O Inter tentou com Corinthians, Fluminense, Coritiba, Sport, Bahia, Goiás, mas não conseguiu negociar o zagueiro Ernando. O alto salário do jogador, cujo contrato vai até o fim do ano que vem, e a premissa de que o vencimento integral seja pago pelo clube que receber o atleta geraram recuos de um a um dos interessados. E o impacto da permanência como última opção no time de Guto Ferreira é grande.

Ernando recebe R$ 350 mil por mês, já recebeu oito salários neste ano, ou seja, R$ 2,8 milhões. Jogou apenas 9 partidas na temporada, entre Gauchão, Copa do Brasil, Primeira Liga e Série B. Ou seja, cada jogo - mesmo incompleto - custou aos cofres do Colorado R$ 311 mil.

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, Ernando, por meio de sua assessoria de imprensa, negou veementemente os números apresentados. Ernando, segundo informou, recebe menos do que os valores apurados. E o não aproveitamento não depende de sua vontade de atuar. (por Marinho Saldanha)

Justiça trava "apenas" R$ 1,3 mi das contas do Santos

A decisão da Justiça que mandou bloquear R$ 18 milhões das contas bancárias do Santos em favor do fundo Doyen teve sucesso apenas parcial: o valor efetivamente bloqueado foi de R$ 1,3 milhão. A medida aconteceu a partir de uma discussão arbitral entre o clube e o fundo, envolvendo dividas relacionadas a Leandro Damião, Lucas Lima e outros atletas. (por Pedro Lopes)