PUBLICIDADE
Topo

Portugal

Nascido para ser cientista, Pepe tem "fórmula" para anular Suárez na Copa

Pepe atuou os 90 minutos das três partidas de Portugal na Copa e cometeu apenas três faltas - Hannah McKay/Reuters
Pepe atuou os 90 minutos das três partidas de Portugal na Copa e cometeu apenas três faltas
Imagem: Hannah McKay/Reuters

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

29/06/2018 21h00

Classificação e Jogos

Em sua terceira Copa do Mundo da carreira, o zagueiro brasileiro naturalizado português Pepe terá duelo particular contra seu velho conhecido uruguaio Luis Suárez neste sábado, às 15h, pelas oitavas de final. Quando era jogador do Real Madrid, o camisa 3 da seleção europeia enfrentou o sul-americano do Barcelona e carrega vantagem no confronto. Essa "fórmula" para anular um dos melhores atacantes do mundo talvez tenha relação com um passado pouco conhecido do zagueiro: "Eu pensava que meu filho ia ser cientista", já disse Anael Ferreira, pai do jogador.

- Veja a tabela completa, as datas e as chaves das oitavas de final
- Simule os resultados e veja como ficam as quartas de final
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador do Brasil

Nascido há 35 anos, Pepe foi batizado como Képler Laveran Lima Ferreira. O primeiro nome é de um conhecido astrônomo alemão que viveu no século 17 e desvendou mistérios das órbitas dos planetas, e o segundo é de um médico francês vencedor de prêmio Nobel em 1907. A junção de dois nomes de épocas e ocupações tão diferentes foi do próprio pai de Pepe, assíduo leitor de enciclopédias e que desejava que o filho se tornasse cientista. O caminho foi diferente.

Pepe - Jack Guez/AFP - Jack Guez/AFP
Imagem: Jack Guez/AFP

Apelidado em homenagem ao ex-jogador campeão mundial por Santos e seleção brasileira, Pepe nasceu em Maceió e começou a carreira no Corinthians Alagoano. Com apenas 18 anos transferiu-se para o Marítimo, de Portugal, e teve ascensão meteórica no futebol europeu. Passou pelo Sporting e pelo Porto antes de chegar ao Real Madrid, onde atuou por dez temporadas, e ao Besiktas, que defende atualmente. Ele se naturalizou português em 2007, quando a seleção era dirigida por Felipão, e jogou as Copas de 2010 e 2014.

Três séculos depois, outro Képler faz história. De seu jeito, claro

"Johannes Kepler é de fundamental importância para a astronomia", diz Romualdo Arthur Alencar Caldas, presidente do Centro de Estudos Astronômicos de Alagoas, terra onde nasceu o xará jogador. "Ele teve uma vida muito sofrida, era míope, luterano, filho de um pai alcoólico e uma mãe de temperamento forte, que foi salva de acusações de bruxaria. Foi um homem de mente brilhante e aguçada que levou oito anos de cálculos árduos para desvendar o mistério da órbita de Marte, que é uma elipse e não um círculo perfeito como se pensava desde a antiguidade. Kepler fez três leis para o Sistema Solar e com isso contribuiu para uma nova visão com o sol no centro e os planetas girando ao redor em elipses", completa o especialista.

O Képler brasileiro não foi cientista, mas é um dos jogadores mais prestigiados do mundo. Experiente, é conhecido pela virilidade, malandragem, boa marcação e também pelas acusações de deslealdade. Na Copa, entretanto, o clichê não se aplica: Pepe tem tantas faltas cometidas quanto desarmes realizados (3). Em três partidas, Portugal cometeu 42 faltas (média de 14 por jogo) e o camisa 3 tem média de apenas uma por jogo. Ele também é um dos melhores passadores de sua seleção, com 86 passes certos e apenas 4 errados na primeira fase. 

Pepe e Cristiano Ronaldo - Carl Recine/Reuters - Carl Recine/Reuters
Cristiano Ronaldo está em sua quarta Copa do Mundo por Portugal, enquanto Pepe disputa a terceira
Imagem: Carl Recine/Reuters

A "fórmula" para anular craques adversários e fazer bonito no Mundial passa exatamente pelo bom desempenho. Em três jogos são 22 rebatidas, dez lançamentos certos e oito errados, apenas duas perdas de bola e média de 8,98 km percorridos por partida.

Pepe é mais do que o clichê, e é assim que chega ao reencontro com Suárez. Em cinco partidas pelo Real Madrid contra o Barcelona do uruguaio foram duas vitórias, uma delas com gol do próprio zagueiro, e uma derrota em que Suárez marcou. Pepe ainda ficou no banco de reservas em duas oportunidades no clássico espanhol. 

Pepe e Suárez - Emilio Morenatti/AP - Emilio Morenatti/AP
Imagem: Emilio Morenatti/AP

Portugal