PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Veiga virou sinônimo de injustiça

Raphael Veiga, do Palmeiras, tornou-se o maior artilheiro do clube na história da Libertadores ao marcar contra o Independiente Petrolero - Patricia Pinto/Reuters
Raphael Veiga, do Palmeiras, tornou-se o maior artilheiro do clube na história da Libertadores ao marcar contra o Independiente Petrolero Imagem: Patricia Pinto/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

11/05/2022 11h12Atualizada em 11/05/2022 11h12

Raphael Veiga ficou fora da convocação que chamou 27 nomes. Uma chance a mais de ser testado e - seguindo o estilo de Tite - jogar alguns minutos.

Tudo indica que Veiga é jogador para o próximo ciclo, um raso eufemismo para dizer que está fora da Copa.

Ruim para ele. Ruim para a seleção, que não terá no banco um jogador criativo, participativo e com capacidade de mudar o jogo. E, muito menos, terá um novo titular.

Não dá para entender. Tite não quis chamar três do Palmeiras? Ora, deixasse Weverton no Brasil. Ele está consolidado e não precisa ser testado.

A ausência de Veiga é tão contestável que a palavra injustiça voltou a acompanhar uma decisão do treinador. De um treinador.

Há muito uma convocação não "dava tanta mídia". As outras eram acompanhadas de um muxoxo. Grita, apenas no sentido contrário. Toda reclamação era por um jogador SER convocado e desfalcar o time. Agora, com Veiga, é o contrário. Torcedores de todos os times pedem Veiga. Tite? Nada.

No lugar de quem?

Ora, estamos falando de testes. E ele poderia jogar no lugar de Paquetá, Coutinho ou do sempre presente Fred. Que não é Astaire. O Fred de Tite não dança nunca. Até machucado e sem possibilidade de recuperação, foi à Copa da Rússia.

Raphinha, Matheus Cunha e Martinelli foram chamados. Terão a chance negada a Raphael Veiga.