PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Rogério Ceni estreou com coragem e boas decisões

Rogério Ceni foi homenageado na primeira vez em que enfrentou o São Paulo como treinador - RUBENS CHIRI/SÃO PAULO FC
Rogério Ceni foi homenageado na primeira vez em que enfrentou o São Paulo como treinador Imagem: RUBENS CHIRI/SÃO PAULO FC
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

15/10/2021 12h20

Apesar de mais um empate - o sexto seguido -, Rogério Ceni foi bem em sua volta ao clube, 1 x 1 contra o Ceará.

Teve apenas um treino e foi surpreendido com a contusão de Luan. E já não podia contar com Rigoni. Simplesmente, o melhor atacante e o melhor volante protetor da zaga. O único.

Mesmo assim, Ceni montou um time agressivo, voltado para o ataque, com Liziero na proteção, Sara e Gomes para fazer o área-área, e Benítez como armador.

Além disso, Orejuela e Reinaldo atacavam bastante. Calleri e Luciano na frente.

Foi correto porque o time precisava desesperadamente vencer. Foi parecido com o que Crespo fez contra o Santos.

Não deu certo. Houve um novo empate. E o Ceará teve muitas chances para vencer. Foi um jogo de trocação. Não é o ideal, mas foi corajoso e necessário.

Será assim contra o Corinthians? Provavelmente não. É um adversário de maior qualidade e que, certamente, aproveitará as oportunidades cedidas.

Rogério acertou também na substituição de Orejuela. Além de estar jogando mal, tinha cartão amarelo. Por ali, o Ceará estava muito perigoso.

Com mais tempo para trabalhar, Rogério tem um problemão para resolver: a baixa efetividade de Luciano. O artilheiro do ano passado está errando muito.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL