PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Deixem Abel em paz!

Abel Ferreira comanda o Palmeiras na partida contra o Botafogo-SP, pelo Paulistão - Cesar Greco
Abel Ferreira comanda o Palmeiras na partida contra o Botafogo-SP, pelo Paulistão Imagem: Cesar Greco
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

18/04/2021 22h57Atualizada em 18/04/2021 22h57

Até para o parâmetro predatório do futebol brasileiro é irreal, insano e assustador ouvir Abel Ferreira falar em entrevista após o empate contra o Botafogo. Do mesmo jeito que demorei um dia para aceitar o convite para vir, posso sair de for consenso que sou o problema. Não é a transcrição literal, mas o sentido é o mesmo.

E depois, pediu para que os torcedores que picharam o estádio puxassem pela memória para lembrar o que foi feito até agora, desde a sua chegada.

O que os vândalos querem, amém de dilapidar o patrimônio do clube que deveriam defender?

Que culpa o treinador tem se os jogadores erram tantos pênaltis contra Flamengo e Defensa y Justicia?

Ao contrário de muitos palmeirenses, não vejo Abel Ferreira como um grande treinador. A participação no Mundial foi ridícula. O futebol apresentado contra o Defensa y Justicia foi constrangedor, mas ter seu trabalho questionado com essa virulência é doença.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon