PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

U. Católica é multada por racismo de torcedor contra o Flamengo; veja valor

Torcedor da Católica é flagrado fazendo gesto racista para torcedores do Flamengo - Reprodução/Twitter
Torcedor da Católica é flagrado fazendo gesto racista para torcedores do Flamengo Imagem: Reprodução/Twitter
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

18/05/2022 10h08

O Tribunal de Disciplina da Conmebol multou em US$ 30 mil (R$ 147 mil) a Universidad Católica do Chile por atos racistas de um torcedor na partida de 28 de abril contra o Flamengo, em Santiago (3 a 2 para os brasileiros pela Libertadores). O valor contempla a redação antiga do Código de Disciplina porque o jogo foi realizado antes da mudança de regra no artigo 17 (discriminação) feita na semana passada.

A Católica teve parte do estádio San Carlos de Apoquindo interditado por três jogos não por um torcedor ter imitado macaco à torcida do Flamengo, mas pelo arremesso de um sinalizador contra os brasileiros. A tribuna Ignacio Pietro não poderá receber torcedores nos próximos jogos do time por torneios da Conmebol — o clube também recebeu uma multa de mais US$ 40 mil (R$ 197 mil) pela infração.

No dia 9 de maio, a Conmebol anunciou mudança na redação do artigo 17 de seu Código de Disciplina, que trata de discriminação. Aumentou de US$ 30 mil para US$ 100 mil a multa mínima para casos que envolvam jogadores, oficiais e torcedores e abriu a possibilidade de os clubes atuarem com parte ou todo o estádio fechado para torcedores.

No entendimento do tribunal, a regra vale para jogos realizados a partir de 9 de maio. Casos de atos racistas ocorridos antes, portanto, terão punições pela redação antiga, como foi o caso da Universidad Católica. O clube chileno havia manifestado repúdio ao ato e abriu uma queixa na justiça do Chile contra os torcedores flagrados em atitudes racistas e violentas.

Uma sequência de atos racistas fez a Conmebol alterar suas regras, após pressão de clubes brasileiros e da CBF. Nesta terça-feira, em Buenos Aires, novamente pessoas imitando macaco foram flagradas, desta vez em Boca Juniors 1 x 1 Corinthians em La Bombonera. Um torcedor do Boca foi preso em São Paulo, no primeiro jogo dos times pela Libertadores, em 26 de abril, por imitar macaco. Esse caso ainda não foi julgado.