PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

SPFC x Palmeiras: Conmebol escala elite do VAR após confusão no clássico

Néstor Pitana, destaque na Copa de 2018, será o árbitro de São Paulo x Palmeiras - EFE/EPA/MARIO CRUZ
Néstor Pitana, destaque na Copa de 2018, será o árbitro de São Paulo x Palmeiras Imagem: EFE/EPA/MARIO CRUZ
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

04/08/2021 17h47

A comissão de arbitragem da Conmebol levou em consideração a confusão ocorrida entre São Paulo x Palmeiras pelo Brasileiro, no sábado, para escolher uma equipe totalmente estrangeira para comandar o clássico das quartas de final da Libertadores na próxima terça-feira (10). Houve muita reclamação por parte dos são-paulinos por causa da atuação do VAR.

O jogo terá no campo o árbitro argentino Néstor Pitana, que apitou a final da Copa do Mundo de 2018, e outro detalhe que mostra a preocupação da confederação com essa partida: o chileno Julio Bascuñan será o VAR principal e o peruano Victor Carrillo o AVAR, o assistente na cabine. Ambos são considerados, ao lado do argentino Mauro Vigliano, o top 3 do VAR da Conmebol (excluindo brasileiros).

A comissão de arbitragem da Conmebol, comandada pelo brasileiro Wilson Luiz Seneme, está pressionada por erros principalmente na condução do VAR em jogos das oitavas da Libertadores. Houve problemas de interpretação e um erro bizarro em que os profissionais que estavam na sala de vídeo ignoraram um jogador do Fluminense que dava condição a um atleta do Cerro Porteño em gol anulado no jogo de ida do confronto, em Assunção — os brasileiros venceram por 2 a 0 e confirmaram a vaga nesta terça-feira (3), no Rio.

O Boca Juniors sentiu-se prejudicado na eliminação para o Atlético-MG, ao ter gols anulados nos confrontos de La Bombonera e do Mineirão, e fez uma reclamação formal à Conmebol. Nos bastidores os argentinos insistem na demissão de Seneme, mas até o momento o presidente da confederação sul-americana, Alejandro Dominguez, não cedeu. O cartola não tem uma relação estável com a AFA, a associação argentina, que também é muito ligada à direção do Boca.

Apesar da preocupação da Conmebol, aos 46 anos, Pitana não vive a grande fase de 2018, quando apitou a abertura e a final da Copa do Mundo da Rússia. A seleção da Colômbia, por exemplo, reclamou muito de sua atuação na derrota de 2 a 1 para o Brasil, na fase de grupos da Copa América disputada entre junho e julho no Brasil. No gol de empate brasileiro, a bola bateu em Pitana antes do cruzamento que originou o gol de Firmino. O VAR entendeu que foi legal porque o toque no árbitro não mudou o time que estava com a posse de bola.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL