PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Paulistão parado vai atrapalhar clubes na Libertadores e na Sul-Americana

Governo de SP paralisa Paulistão durante fase emergencial da pandemia - Divulgação/FPF
Governo de SP paralisa Paulistão durante fase emergencial da pandemia Imagem: Divulgação/FPF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

16/03/2021 15h30Atualizada em 16/03/2021 17h37

O adiamento de três rodadas do Campeonato Paulista, se confirmado, vai impactar na participação dos quatro grandes paulistas nas competições da Conmebol. A Federação Paulista pretende finalizar a competição em 23 de maio, como prevê o calendário, mas para isso terá que usar meios de semana que estão reservados exclusivamente para Libertadores e Sul-Americana.

O governo de São Paulo aumentou até o fim de março as restrições para tentar conter o avanço da Covid-19 e proibiu atividades esportivas coletivas, o que impacta, claro, no futebol. A FPF tenta convencer o governador João Doria (PSDB) e o Ministério Público, que pediu a paralisação do campeonato, que pode endurecer o protocolo sanitário para continuar o Paulistão, mas por enquanto não obteve sucesso.

O campeonato ou para ou a FPF se organiza para realizar essas três rodadas em outro estado — Minas Gerais receberia nesta quarta (17) São Bento x Palmeiras, em Belo Horizonte, jogo atrasado da 3ª rodada, mas o governo local vetou confrontos de times de outros estados ao aumentar as restrições sanitárias. Realizar várias partidas longe também é uma operação cara e parece inviável. A federação informou que pode também acionar a Justiça para continuar jogando em São Paulo.

Se o torneio parar, a FPF terá que encaixar esses jogos da primeira fase até 2 de maio, quando está previsto o início da etapa final. Mas para isso terá que coincidir datas com outros campeonatos, o que pode obrigar clubes, principalmente os grandes, a jogarem com intervalo de 48 horas — o que foi permitido em 2020 e 2021 por causa do aperto no calendário.

Por exemplo: na quarta-feira, 7 de abril, o calendário prevê jogos da fase preliminar da Libertadores, que pode ter o Santos, e da segunda fase da Copa do Brasil, com a Ponte Preta já confirmada e Corinthians e Mirassol ou Bragantino com chances de participar.

A partir do meio de semana de 21 de abril, e por seis semanas seguidas, ocorrem simultaneamente os jogos da fase de grupos da Libertadores e da Sul-Americana. Palmeiras e São Paulo estão confirmados na primeira e o Corinthians na segunda. O Santos, passando pelo Deportivo Lara (VEN) na segunda etapa preliminar da Libertadores, já fica garantido em uma das duas (se perder na terceira preliminar vai para a Sul-Americana, se ganhar para a Libertadores).

Se quiser encaixar jogos do Paulista nessas semanas, a FPF vai precisar fazer os times jogarem três vezes na semana, contando a rodada do final de semana — impossível fazer isso sem jogos a cada 48 horas ou pouco mais.

O calendário, portanto, continua na temporada 2021 como esteve na de 2020 que só terminou no começo de março de 2021: apertado sem mudanças em regulamentos que diminuíssem as datas de algumas competições. .