PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Marcel Rizzo


Brasileiro-2020 terá mais de 200 árbitros habilitados para atuar como VAR

Sala do VAR na Arena do Corinthians, em São Paulo. Pelo segundo ano seguido tecnologia será usada na Série A - Fernando Torres / CBF
Sala do VAR na Arena do Corinthians, em São Paulo. Pelo segundo ano seguido tecnologia será usada na Série A Imagem: Fernando Torres / CBF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

15/02/2020 04h00

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vai aumentar o número de árbitros e assistentes credenciados a atuar nas cabines do VAR para o Campeonato Brasileiro de 2020. Se o plano der certo, mais 32 serão acrescentados aos 172 que terminaram 2019 habilitados fazendo com que 204 possam trabalhar como VAR principal ou AVAR (auxiliar de cabine) durante os 380 jogos.

Destes 204, 96 estariam credenciados como árbitro principal nas salas do VAR, responsável direto por conversar com o juiz de campo durante as checagens — os outros 108 poderiam atuar somente como AVAR. Aqueles habilitados para VAR também podem ser escalados como auxiliares (AVAR).

O número já é considerado internamente na confederação brasileira muito bom, já que será apenas o segundo ano que o árbitro de vídeo estará na Série A nacional. Em 2019, como mostrou o blog, 38 profissionais foram usados como VAR principal nas partidas do Brasileiro, ou seja, 40% daqueles que estarão certificados para essa função em 2020. Já há, inclusive, aqueles considerados especialistas.

Cinco profissionais foram escalados em 20 ou mais jogos atuando como árbitro de vídeo principal nas cabines no ano passado. Os paulistas Rodrigo Guarizo do Amaral, 43, e José Cláudio Rocha Filho, 41, passaram dos 30: Guarizo atuou em 35 das 38 rodadas, enquanto Rocha Filho em 32 partidas.

Na avaliação da comissão de arbitragem eles estão entre os mais bem cotados junto com o mineiro Emerson de Almeida Ferreira, 41, que atuou em 21 partidas e o fluminense Rodrigo Nunes de Sá, 40, que esteve em 22. Completa o quinteto outro mineiro, Igor Junio Benevenuto, 39, com 20 aparições.

A tendência é que, com o passar dos anos, se criem árbitros que trabalhem apenas como VAR e AVAR, como hoje já existem os auxiliares de campo (os bandeirinhas). Isso pode fazer que o número dos credenciados até diminua. P

Para economizar, a CBF sonha que no futuro as cabines do VAR sejam centralizadas, ou seja, fiquem em um mesmo espaço, provavelmente no Rio, com as imagens indo por fibras óticas dos estádios para essa sede do árbitro de vídeo. Na Copa do Mundo da Rússia a Fifa fez isso e a CBF testará na sua Supercopa, no domingo (16). O jogo entre Flamengo e Athletico será em Brasília, mas a cabine do VAR ficará na sede da CBF, no Rio.

A primeira rodada do Brasileiro será no fim de semana de 2 e 3 de maio.

Marcel Rizzo