PUBLICIDADE
Topo

Paulista - 2019

Diretoria e Muricy se dividem entre efeito suspensivo e 'renda vantajosa' para clássico

Muricy prefere jogar na Vila, mas pode enfrentar o Corinthians em outro estádio - Junior Lago/UOL
Muricy prefere jogar na Vila, mas pode enfrentar o Corinthians em outro estádio Imagem: Junior Lago/UOL

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

20/02/2013 06h00

O Comitê Gestor do Santos e o técnico Muricy Ramalho se reúnem nesta quarta-feira em busca de uma solução favorável para o mando de campo no clássico contra o Corinthians no próximo dia 3, válido pela 10ª rodada do Campeonato Paulista. Após o Tribunal de Justiça Desportiva (TDJ-SP) punir o clube com a perda de um mando de campo e mais multa de R$ 10 mil, o departamento jurídico prometeu entrar com efeito suspensivo.

No entanto, a cúpula santista visa uma renda de bilheteria mais vantajosa e acena com a ideia de mandar o jogo em um estádio maior. O Morumbi é a primeira opção, já que o campo do São Paulo supera 60 mil pagantes. Segundo o regulamento geral das competições da Federação Paulista de Futebol (FPF) em 2013, em caso de perde de mando de campo deverá ser respeitada distância mínima de 70 km do município de seu estádio. A distância entre Vila Belmiro e Morumbi atende a determinação da entidade.

Muricy Ramalho
Muricy Ramalho
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','14403', '')

No entanto, a diretoria também estuda a possibilidade de atuar na Fonte Luminosa, em Araraquara, interior de São Paulo. O estádio, utilizado pela Ferroviária, até 2008 tinha pouco mais de 18 mil lugares, mas com a reforma passou para 20.950 pagantes, formando uma moderna arena. Já a Vila Belmiro tem capacidade para pouco mais de 15 mil pessoas.

Muricy Ramalho conta com o apoio dos jogadores para convencer a diretoria a brigar pelo mando de campo na Vila Belmiro. Recentemente, o treinador reclamou publicamente da alteração da data do jogo contra o Paulista, de Jundiaí, que foi transferido para o domingo de Carnaval a pedido da diretoria.

O treinador fez questão de expor que os dirigentes mudaram a data do jogo visando uma renda melhor.

“Como se mudou o jogo para domingo espero que dê a renda que estão esperando. O grande problema da mudança desse jogo é que quem fez não sabia que já tínhamos uma programação definida”, reclamou na ocasião.

O Santos foi punido devido as moedas que foram atiradas por torcedores santistas em direção a Paulo Henrique Ganso, no clássico contra o São Paulo, no dia 3 fevereiro, no alçapão santista.

O departamento jurídico do Santos já prometeu entrar com o efeito suspensivo para o time disputar o clássico contra o Corinthians na Vila. O prazo no Estatuto do Torcedor permite o clube de mandar o jogo contra o XV de Piracicaba no estádio, mas leva a punição justamente para o duelo contra o arquirrival.

“Agora, a nossa expectativa fica por conta do efeito suspensivo. Temos três dias para nos manifestarmos diante do Tribunal e buscar isso para que possa entrar já na próxima pauta (de julgamentos) do TJD. Estamos confiantes”, afirmou o advogado do clube, João Vicente Gazolla.

.O clube respondeu aos artigos 211 (deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização) e parágrafo único (incide nas mesmas penas a entidade mandante que não assegurar, à delegação visitante, livre acesso ao local da competição e aos vestiários) e 213 –III e § 1º (deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo) , ambos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).