PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com dupla cobiçada pelo Barça, Ajax volta a mostrar relevância na Champions

O zagueiro Matthijs de Ligt, capitão do Ajax, comemora vitória sobre o Benfica - AP Photo/Peter Dejong
O zagueiro Matthijs de Ligt, capitão do Ajax, comemora vitória sobre o Benfica Imagem: AP Photo/Peter Dejong

Thiago Rocha

Do UOL, em São Paulo

24/10/2018 04h00

Detentor de quatro títulos continentais e formador de equipes que marcaram a história do futebol, o Ajax foi o clube mais afetado pela perda de prestígio da Holanda em relação às principais ligas da Europa nas últimas duas décadas. A impotência financeira para brigar por reforços de peso ou para segurar os seus principais jogadores, aliada a raras apostas vindas das categorias de base, colocaram o clube de Amsterdã no limbo internacional. 

Para ressurgir no cenário europeu, o Ajax tem se apoiado no que sempre fez de melhor: descobrir talentos. Nas últimas quatro temporadas, dedicou-se a montar um elenco jovem, mesclando atletas formados pelo clube e garotos de destaque no exterior que caibam no orçamento - como o atacante brasileiro David Neres, 21 anos, contratado junto ao São Paulo em 2017 por 15 milhões de euros.

Após três anos de altos e baixos, indo de vice-campeonato na Liga Europa em 2017 a troca de comando (a equipe é treinada agora pelo ex-zagueiro Erik ten Hag), o projeto volta a dar sinais de sucesso nesta temporada, justamente onde o Ajax tanto se acostumou a brilhar: a Champions League.

A vitória em casa por 1 a 0 sobre o Benfica, na última terça-feira (23), com gol do lateral-direito marroquino Mazraoui (20 anos de idade) aos 47 minutos do segundo tempo após assistência de David Neres, colocou os holandeses na liderança do Grupo E da Liga dos Campeões, com sete pontos, os mesmos do Bayern de Munique, que fica atrás nos critérios de desempate. Foram dois triunfos e um empate - 1 a 1 com o favorito Bayern, em plena Allianz Arena.

Somada a fase preliminar, já que a Holanda não tem vaga direta na Champions, a invencibilidade do Ajax no torneio aumenta para nove partidas (seis vitórias e três empates), a maior sequência desde 1995, ano em que conquistou a Liga pela última vez.

O time treinado por Erik ten Hag tem postura essencialmente ofensiva, explorando a velocidade dos pontas e com apoio constante dos laterais. O Ajax é o segundo time com mais finalizações certas a gol na Liga dos Campeões: 23.

Um novo triunfo sobre o Benfica, dia 7 de novembro, no Estádio da Luz, em Lisboa, pode render uma classificação às oitavas de final que não vem há 12 anos. Na última aparição, na temporada 2004/2005, o time caiu para a Inter de Milão.

"Estamos cada vez mais confiantes, e conseguir sete pontos em três jogos é muito bom. Acreditamos cada vez mais na passagem à fase final", disse o meio-campista Frenkie De Jong, camisa 21 da equipe de Amsterdã.

Dupla de destaque é alvo do Barcelona

De Jong - JOHN THYS / AFP - JOHN THYS / AFP
Frenkie De Jong (à direita), meia do Ajax, em lance do jogo com o Benfica
Imagem: JOHN THYS / AFP

De Jong, 20 anos e incorporado ao elenco profissional desde 2015, é uma das caras novas que demonstram o potencial do elenco do Ajax, o segundo mais jovem desta Liga dos Campeões, com média de idade de 23,4 anos. Seja atuando mais à frente da linha ofensiva ou recuado, ele evoca características comuns a craques do passado holandês, como a versatilidade e a capacidade de atacar e defender com a mesma intensidade, fazendo o que a linguagem moderna do futebol chama de box to box (área a área).

Para manter a tradição de visar os grandes talentos que a Holanda oferece, como fez com Johan Cruyff na década de 1970 e outros tantos jogadores do país nos anos 1990, o Barcelona monitora De Jong há mais de um ano e, a cada janela de transferências que se abre, ele surge como potencial reforço. Inter de Milão e Manchester City também surgem como cotados a contratar o jogador, cujo valor de mercado é de 40 milhões de euros (cerca de R$ 170 milhões), segundo o Transfermarkt.

Outro alvo do Barça é o zagueiro Matthijs de Ligt. Aos 19 anos, ele é o capitão do time e tem carreira precoce, sendo descoberto aos 9 anos pelos olheiros do clube. Em 2016, ainda adolescente, aos 17, ele se tornou o segundo jogador mais jovem a anotar um gol pelo Ajax, atrás apenas do ex-meia Clarence Seedorf.

Com 1,88 metro de altura e considerado com técnica acima da média para um defensor, De Ligt frequenta as seleções de base da Holanda desde o sub-15 e é titular absoluto do time principal, formando zaga com Virgil Van Dijk, astro do Liverpool. O valor de mercado dele é de 50 milhões de euros (R$ 212 milhões), também de acordo com o Transfermarkt.

Além da base jovem, que conta com outros nomes de destaque como o goleiro camaronês Onana (22 anos), o meia holandês Van de Beek (21) e o atacante dinamarquês Kasper Dolberg (21), o Ajax incorporou alguns veteranos ao elenco, como o lateral-esquerdo Daley Blind (28), o meia sérvio Dusan Tadic (29) e o atacante holandês Klaas-Jan Huntelaar (35).

A mistura de gerações vem dando certo, mas ainda não o suficiente para o Ajax retomar a hegemonia nacional. Os últimos quatro títulos do Campeonato Holandês ficaram nas mãos de PSV (três vezes) e Feyenoord (uma vez).

Nesta temporada da Eredivise, o Ajax é vice-líder com 22 pontos, cinco atrás do rival PSV, que também está na Liga dos Campeões, mas perdeu nas duas rodadas do Grupo B, para Barcelona e Inter de Milão. Nesta quarta-feira (24), a equipe de Eindhoven enfrentará o Tottenham em casa, às 13h55 (de Brasília).

Esporte