PUBLICIDADE
Topo

Esporte


Helinho cumpre expectativa na 1ª jogada e levanta torcida do SP no Morumbi

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

04/11/2018 18h56

Imagine que você tem 18 anos, está fazendo sua estreia pelos profissionais do São Paulo em um jogo decisivo contra o Flamengo e acaba de receber sua primeira bola pela ponta direita. O que você faz? Se seu nome é Helinho, você encara a marcação, corta para o meio e acerta uma bomba de pé esquerdo no ângulo para fazer o segundo gol tricolor. Foi esse o cartão de visitas do meia-atacante neste domingo (4), durante o empate por 2 a 2 no Morumbi.

Considerado uma das principais promessas da base são-paulina, Helinho já vinha tendo seu nome pedido pela torcida há tempos. Ele havia sido relacionado para três jogos do Campeonato Brasileiro, mas não saiu do banco em nenhum deles. Até que o técnico Diego Aguirre resolveu dar a oportunidade ao garoto em um jogo complicado, no qual o Flamengo havia criado as melhores chances do primeiro tempo. Ele respondeu logo na primeira jogada.

Atuando aberto pela direita do ataque, Helinho mostrou muita personalidade não só no lance do gol. Mesmo depois da pintura, não se intimidou diante de marcadores bem mais experientes e passou a fazer a torcida levantar de expectativa a cada vez que pegava na bola. Prendeu, segurou, driblou, foi para cima. Aos 14 minutos, após corte em Renê, quase conseguiu uma assistência ao servir Luan, mas o chute do volante foi para fora.

O camisa 37 também mostrou empenho na marcação, fazendo todo o corredor direito e ajudando o lateral Bruno Peres na defesa. Em alguns lances, porém, decidiu mal. Aos 33 minutos, por exemplo, teve a oportunidade de puxar contra-ataque com liberdade, mas segurou demais a bola e acabou desarmado por Willian Arão ao tentar driblar o volante rubro-negro.

Apesar de o resultado positivo não ter vindo, a entrada animadora de Helinho mostra que o São Paulo tem uma nova arma para a sequência do Campeonato Brasileiro. Em um time no qual Aguirre costuma escalar laterais como Reinaldo ou Bruno Peres pelas pontas, a entrada de um meia-atacante incisivo e habilidoso é uma boa notícia para o Tricolor, que já conta com outras crias da base consolidadas na equipe principal, como Luan e Liziero.

Pode não ter sido a estreia dos sonhos, já que a vitória não veio: nos minutos finais, Rodinei empatou para o Flamengo. Mas como primeiro passo na carreira profissional, o golaço logo na primeira jogada dificilmente poderia ter sido melhor para Helinho.

Esporte