PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Palmeirenses entram na onda da torcida e negam frustração: "Foco é o G-4"

Do UOL, em São Paulo (SP)

30/10/2017 22h05

O “mantra” de que o foco do Palmeiras no Campeonato Brasileiro é a permanência no grupo dos quatro melhores foi repetido exaustivamente nesta segunda-feira, depois do empate por 2 a 2 com o Cruzeiro, no Allianz Parque. Se a torcida abraçou este lema, apesar da aproximação em relação ao Corinthians, o grupo tratou de repetir o discurso.

Na saída do gramado, o capitão Dudu, por exemplo, negou qualquer frustração pelo resultado de igualdade diante do atual campeão da Copa do Brasil. O empate impediu o Palmeiras de depender apenas das próximas forças para conquistar o segundo título nacional consecutivo.

“O Campeonato Brasileiro é difícil, sabemos das dificuldades que vamos enfrentar. O nosso objetivo é o G-4. Estamos em um momento bom, e ainda diminuímos um ponto ainda em relação ao líder. Nosso foco é o G-4, vamos lutar até o fim”, disse o camisa 7 ao Sportv.

O discurso se mostrou ensaiado entre os outros jogadores. Tchê Tchê, também na saída do gramado, tratou a empolgação com o Palmeiras como algo externo e evitou falar sobre a briga pelo título contra o arquirrival, adversário do próximo domingo, em Itaquera.

“Foi criada muita expectativa de fora para dentro. Deixamos claro que o objetivo é o G-4 e poderíamos ter diminuído. Se conseguirmos a vitória lá, voltamos para o campeonato de novo. Não é de todo mal, conseguimos empatar, não foi o resultado que queríamos”, discursou o meio-campista, que vê o dérbi do fim de semana com a mesma importância.

“Não tira o brilho do clássico, a expectativa foi mais de fora para dentro, será um jogo difícil, importante. Vamos concentrados para conseguirmos vitória lá”, completou.

O lateral Egídio também comprou o discurso de que a luta palmeirense é pela vaga na próxima Copa Libertadores, apesar da reação que aproximou o atual campeão nacional do Corinthians na briga pelo título – o Palmeiras tirou nove pontos nas últimas quatro rodadas.

“Não vamos dizer decepção, estava seis pontos, poderíamos ter baixado para três. Dois gols que levamos despretensiosos. A gente sabia que ia ser difícil, jogo de time grande. Saímos duas vezes atrás do placar, conseguimos empatar, mais um pouco conseguíamos a virada. Dá para buscar ainda, mas o nosso foco principal é o G-4. Temos o confronto direto, vamos ver no que dá”, declarou.

Esporte