PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Entrega logo a taça ao Corinthians", diz Euriquinho após fazer acusações

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/09/2017 18h43

O vice de futebol do Vasco, Eurico Brandão, filho de Eurico Miranda, se mostrou muito revoltado em entrevista coletiva após a derrota de seu clube por 1 a 0 para o Corinthians neste domingo. O dirigente acusou seguranças do clube paulista e da federação de futebol de São Paulo de terem agido com truculência nos corredores da Arena contra sua pessoa. Além disso, ele demonstrou toda a sua revolta com o gol de braço marcado pelo atacante Jô.

"O que estamos passando para sociedade e para os filhos é um exemplo ruim. O Rodrigo Caio, que outro dia agiu com fair play, está brigando para não cair, e o Jô, que fez um gol de mão descaradamente, vai ser campeão. Esse é o exemplo do futebol brasileiro. Federação local trabalhando contra o futebol, jogador que faz gol de mão e não acontece nada... Entrega logo a taça para o Corinthians então! Para que competir? Treinar? Para chegar aqui e acontecer isso? É justo? É assim que tem que ser?", indagou.

Sobre as acusações que fez em relação aos seguranças, o dirigente detalhou o que, de fato, aconteceu e que lhe gerou tanto incômodo:

"Desci dos camarotes 10 minutos antes de terminar. Como teve um lance absurdo que definiu a partida, o meu intuito na zona mista era para que, no calor das emoções, os atletas falassem algo que os prejudicasse. Sendo assim, esperei na zona mista quando, infelizmente, fui extremamente mal tratado pela segurança do Corinthians e pela federação paulista de futebol. A federação coloca seguranças em favor do futebol, não em favor do Corinthians. Se assim fosse, bastava colocar segurança do clube. O que estamos vendo é que se cultua o errado. O que temos que fazer é cobrar que a federação do Rio faça o errado? Que trate mal o visitante? O clube visitante, quando vem jogar no estádio fora, tem os mesmos direitos do clube local".

Ainda durante a coletiva, Euriquinho denunciou que seguranças da federação paulista faziam anotações e relatórios para serem entregues à arbitragem. O dirigente também alegou que a ordem para os jogadores do Vasco não concederem entrevista foi dada por ele, e não por seu pai, como informou a transmissão da TV Globo.

Esporte