PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Torcedores perseguem carros de jogadores da Chape após derrota

Daniel Fasolin

25/06/2017 23h11

Após mais uma derrota no Campeonato Brasileiro, a sexta em sete jogos, torcedores da Chapecoense protestaram nas imediações da Arena Condá na noite deste domingo pedindo a saída de vários jogadores e do treinador Vagner Mancini.O clube catarinense perdeu em casa por 1 a 0 para o Atlético-MG, que jogou com time misto, e desceu para a 13ª colocação da Série A do Campeonato Brasileiro – é importante lembrar que a equipe liderou a competição por duas rodadas.

Os ânimos estavam exaltados e, na saída do campo, o atacante Túlio de Melo discutiu com torcedores presentes na Arena Condá. "Eu fui falar para eles que nós estamos lutando, que eu perdi meus irmãos na tragédia e tenho um sentimento enorme pelo clube. Fui explicar que coração e vontade não faltarão nunca", explicou.

Diretoria e comissão técnica se reuniram após a partida no vestiário para falar sobre o futuro do treinador Vagner Mancini. Em entrevista coletiva, o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nês Filho, garantiu a permanência do treinador. "Venho aqui para dizer que o trabalho irá continuar com toda a comissão técnica e departamento de futebol. Sabemos que não estamos vivendo um bom momento, mas confiamos no trabalho que está sendo realizado. Não é hora de mudanças", afirmou o mandatário.

Mesmo assim, os protestos continuaram do lado de fora da Arena Condá, onde centenas de torcedores aguardaram o elenco da Chapecoense deixar a área do estádio. Houve muita correria para chegar até os atletas e carros foram cercados, de modo que um esquema de segurança teve de ser montado às pressas para que os jogadores e membros da comissão técnica pudessem sair com tranquilidade.

Porém, o esquema não impediu que muitos torcedores batessem em vidros e na lataria dos veículos em tom de cobrança por mais empenho dos atletas, sem causar maiores danos materiais. O jogador mais cobrado foi o atacante Rossi, muito vaiado após tentar interferir na conversa do atacante Túlio de Melo com os torcedores. Torcedores viram a saída do jogador e pediram mais raça e comprometimento ao atacante, com gritos de "vamos honrar esta camisa" e muitas palavras de baixo calão.

Rossi não falou com a imprensa após a partida e fez questão de tirar jogadores da Chapecoense que estavam concedendo entrevistas ao órgãos de imprensa na zona mista. Nesta segunda-feira, conselho deliberativo, comissão técnica e diretoria se reúnem novamente na sede do clube para definir os próximos passos na temporada.

Esporte