PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Um ano após título, Levir Culpi tem status bem diferente no Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

26/11/2015 06h00

Uma data que o torcedor do Atlético-MG jamais vai esquecer. Foi em 26 de novembro de 2014 que a equipe alvinegra venceu a Copa do Brasil pela primeira vez e com um sabor especial, já que o título foi conquistado sobre o Cruzeiro, com dois triunfos sobre o maior rival. Um dos responsáveis pelo feito histórico é Levir Culpi. Mas bastou um ano para o crédito do treinador com boa parte da torcida acabar.

Nesta quinta-feira, muitos atleticanos vão tirar uma parte do dia para rever alguns lances da vitoriosa campanha na Copa do Brasil, que teve ainda vitórias sobre Palmeiras, Corinthians e Flamengo. Nem mesmo as ótimas lembranças do passado tão recente serão capazes de amenizar a cobrança sobre Levir Culpi, mesmo na segunda colocação no Campeonato Brasileiro.

O técnico é bastante cobrado pelo desempenho do Atlético-MG no segundo turno, especialmente na parte defensiva, já que foram 27 gols sofridos em 17 jogos. No primeiro turno, por exemplo, foram apenas 18 gols sofridos, nas 19 partidas. Com apenas um gol de saldo nesta parte do campeonato, o time atleticano não conseguiu se aproximar do Corinthians e viu o rival paulista conquistar o Brasileirão com três rodadas de antecedência.

Se no final de 2014 a renovação de contrato com Levir era praticamente unanimidade entre os torcedores, para 2016 o treinador não deve continuar na Cidade do Galo. Apesar da vontade em dar sequência ao trabalho que se iniciou em abril do ano passado.

"Uma semana é suficiente para (torcedor) ter desgaste com o técnico. Uma semana. Vocês acham que os torcedores olham o tempo de trabalho, o que foi feito e se o cara tem qualidade técnica ou moral para treinar a equipe do Atlético? Vocês acham que eles olham isso? Todo mundo vê o resultado, inclusive vocês da imprensa. Qual a análise que fazem dos técnicos? Apenas com os números, se ganhou ou não ganhou? São situações assim que a gente tem de administrar, fazem parte do trabalho. Técnicos e jogadores que não conseguem administrar essa pressão, não seguem na profissão", disse Levir após o empate contra o Goiás.

Dificilmente Levir Culpi vai recuperar nas próximas partidas o prestígio que tinha um ano atrás, depois de bater o Cruzeiro na Copa do Brasil. Mas o treinador atleticano acredita que o desempenho da equipe nas duas próximas partidas pode até ajudar numa possível renovação de contrato. Caso supere Grêmio e Chapecoense, o Atlético vai fechar o segundo turno também com 36 pontos, como na primeira parte do Brasileiro, apesar de números inferiores no ataque e na defesa.

“A gente muda o rumo do time em um ou dois jogos. Um ou dois jogos podem mudar a filosofia do clube. Não é assim? Vai dizer que estou falando besteira aqui? Mas é exatamente isso que acontece”.

Esporte