PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Portuguesa alega que escalou jogador por achar que punição era de 1 jogo

Do UOL, em São Paulo

11/12/2013 00h15

O vice-presidente de futebol da Portuguesa, Roberto dos Santos, disse que o clube irá à CBF nesta quarta-feira para pedir a gravação do julgamento do meia Heverton. Segundo o dirigente, o advogado Oswaldo Sestário Filho, representante do time paulista, entrou em contato com a diretoria e disse que o atleta teria sido suspenso apenas em um jogo.

“Recebemos esse comunicado hoje da CBF às 18h30 dizendo que o Heverton havia pego 2 partidas de suspensão, um havia cumprido contra a Ponte e automaticamente contra o Grêmio não poderia jogar. Só que a informação que nosso departamento jurídico nos passou, nós temos um advogado no Rio que é o senhor Sestário, ele participou do julgamento na sexta-feira, ele ligou para o doutor Valdir, nosso jurídico aqui em São Paulo, e disse para ele que Heverton havia pegado apenas um jogo, como ele cumpriu contra a Ponte, ele estava liberado no domingo. Para nossa surpresa, hoje chega este comunicado. Ou advogado passou errado, coisa que não aconteceu em oito anos, ou quem digitou, digitou errado dois jogos”, disse o dirigente ao Sportscenter, da ESPN Brasil, que disse estar surpreso com a situação.

Segundo o vice-presidente, a Portuguesa pedirá a gravação do julgamento para descobrir de quem foi o erro, se o advogado do time se equivocou ao falar um jogo ou se de fato Heverton teria sido punido em apenas uma partida. Isso acontecerá na manhã desta quarta-feira.

Perguntado se o procedimento para os julgamentos dos atletas é sempre esse, Roberto dos Santos disse que o clube normalmente recebe o comunicado depois de alguns dias. "Normalmente é feito o julgamento, nosso advogado se comunica e depois vem o oficial da CBF", completou.

Caso a Portuguesa tenha escalado o jogador de maneira irregular, o time poderá ser punido com a perda de quatro pontos, o que deixaria o clube paulista atrás do Fluminense e, consequentemente, rebaixado para a Série B.

Nesta quarta-feira, a escalação irregular do atleta será analisada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Esporte