PUBLICIDADE
Topo

Vasco aceita taça de campeão de 'Brasileirão paralelo' e esquenta clima com CBF

Pênalti não marcado de Willians (8) em Diego Souza (10) gerou reclamações no Vasco - Julio César Guimarães/ UOL
Pênalti não marcado de Willians (8) em Diego Souza (10) gerou reclamações no Vasco Imagem: Julio César Guimarães/ UOL

Bruno Freitas e Pedro Ivo Almeida

No Rio de Janeiro

08/12/2011 06h02

Após inúmeras reclamações e uma “guerra declarada” na última segunda-feira, quando foi ignorado pela CBF e nem sequer convidado para a festa do Campeonato Brasileiro, o Vasco esquentou ainda mais o clima com a entidade máxima do futebol nacional. O clube cruzmaltino aceitou receber a taça de campeão de um “Brasileirão paralelo’, organizado por um site que monitora os erros dos juízes das partidas, e reforçou a teoria de que só não alcançou o título por conta de irregularidades na arbitragem. O troféu simbólico será entregue ao presidente Roberto Dinamite na próxima segunda (12), às 15h, em São Januário.

PRÊMIO SIMBÓLICO AO "CAMPEÃO" DO BR

  • Divulgação

    Troféu oferecido pelo site que monitora erros de arbitragem ao Vasco, virtual campeão brasileiro

Apontado pelo Placar Real como a equipe mais prejudicada da competição, o time vascaíno terminou a competição virtual, mantida sobre os critérios estipulados a respeito de como supostos equívocos do apito podem melhorar ou prejudicar a situação de times, em primeiro lugar, com 79 pontos, dez a mais que a pontuação real.

Para Dinamite, esta é mais uma maneira de demonstrar como os erros dos “homens de preto” impediram que a taça real chegasse a São Januário. Rechaçando qualquer discurso de protesto, o mandatário cruzmaltino pediu uma reflexão profunda sobre o caso garantiu que o título conquistado no Placar Real é apenas uma constatação de tudo que já foi falado anteriormente sobre os lances polêmicos nos jogos do Vasco.

“Este troféu é mais uma demonstração de como as coisas estão erradas. Se não ocorressem tantos erros, poderíamos tranquilamente conquistar o campeonato. É claro que isso não resolve a perda do título, mas serve para que se faça uma análise, uma reflexão mais profunda. E não falo apenas do Vasco, até porque vários clubes foram prejudicados. Isso aqui não é ‘chororô’, apenas uma constatação. Além disso, é uma idéia saudável”, ressaltou Dinamite.

Segundo levantamento do site especializado, o time vascaíno foi prejudicado em pelo menos quatro jogos da reta final da competição, além dos erros no início do campeonato. Entre pênaltis não marcados, gols anulados e faltas inexistentes, o cruzmaltino deixou de ganhar nove pontos nas partidas contra Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Santos nas últimas rodadas do Brasileiro.

Erros também na parte de baixo da tabela

Ainda de acordo com a tabela do Placar Real, o Vasco não é o único prejudicado pelos erros dos árbitros. Na briga contra o rebaixamento, o Cruzeiro, com 40 pontos, três a menos que a tabela real, teria ido para a série B no lugar do Atlético-PR.

Enquanto isso, Botafogo e Atlético-MG também não escaparam. Com 58 pontos, dois a mais que a pontuação oficial, o time carioca teria se garantido na Libertadores, visto que outros concorrentes à vaga perderiam alguns preciosos pontos. Já a equipe mineira, com 54, nove a mais que a contagem real, beliscaria um lugar na Sul-Americana.

Site que monitora arbitragem mostra diferenças no primeiro lugar e no "G5" - Reprodução

Entenda como funciona o site

No ar desde o final de junho, o site que monitorou a arbitragem do Brasileiro é mantido por dois amigos de São Paulo, o engenheiro civil Daniel Freire e o publicitário Rodrigo Scudero. Ambos não têm nenhuma relação formal com o futebol, a não ser a paixão por seus respectivos clubes, que são mantidos em sigilo em nome da isenção do projeto.

Segundo Daniel, a intenção da dupla era mostrar o quanto os erros poderiam mudar o rumo de uma competição. “Analisando friamente, estes erros mudam completamente o destino da competição. Queríamos mostrar isso”, disse o engenheiro, que ainda fez questão de defender os vilões. “Os erros acontecem muito em função da falta de apoio de uma classe que tem papel fundamental no campeonato”, argumentou o criador.

ALGUNS ERROS APONTADOS PELO SITE EM JOGOS DO VASCO NO BRASILEIRO 2011

Adversário (data)ErroPontos perdidos
Flamengo (04/12)Pênalti de Willians (FLA) sobre D. Souza - não marcado2 (dois)
Palmeiras (16/11)Pênalti de João Victor (PAL) sobre Felipe - não marcado2 (dois)
Santos (06/11)Gol mal anulado de D. Souza / Pênalti em lance que a bola bate na mão de Durval (SAN) - não marcado1 (um)
São Paulo (30/10)Pênalti de Juan (SPO) sobre Allan - não marcado2 (dois)
Figueirense (11/09)Gol mal anulado de Élton (VAS)2 (dois)

O trabalho dos amigos não teve nenhum fundamento científico, mas se baseou em lances polêmicos levantados em cada rodada, todos aqueles que geraram reclamações de alguma das partes envolvidas.

A avaliação final do erro foi determinada através de observações de comentaristas da TV, de preferência de especialistas em arbitragem. Os vídeos das análises estão disponibilizados no Placar Real, bem como as explicações de resultados que mereciam ser alterados.

Para manter o bom funcionamento da iniciativa, os amigos torcedores sacrificaram madrugadas de sono e contaram com a compreensão de suas respectivas esposas. O site que começou com acesso diário de mil pessoas teve um aumento de 400% no número de visitantes nos últimos dias. Em dias posteriores a rodadas, o pico foi de 10 mil torcedores.

Até o final da competição, os dois “aficionados” por erros de arbitragem analisaram quase 300 lances polêmicos. Além da classificação paralela, que acabou dando o título simbólico ao Vasco, o Placar Real também elaborou uma tabela para avaliar o desempenho dos juízes do campeonato, em estudo denominado de “juizômetro”.

Nesta lista, Sandro Meira Ricci (DF) apareceu com o desempenho mais favorável, com 13 acertos e sete erros em lances duvidosos, destoando de 2010, quando foi foco de polêmica no Brasileiro após marcar um pênalti sobre o corintiano Ronaldo em jogo decisivo contra o Cruzeiro. Pelo levantamento, a pior performance pertenceu ao alagoano Francisco Carlos do Nascimento (sete acertos e 14 erros).

Esporte