PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Vasco é ignorado pela CBF, não recebe convite para festa, e Dinamite desabafa: 'Muito estranho'

Roberto Dinamite não escondeu a mágoa pelo descaso da CBF com o Vasco - Pedro Ivo Almeida/ UOL Esporte
Roberto Dinamite não escondeu a mágoa pelo descaso da CBF com o Vasco Imagem: Pedro Ivo Almeida/ UOL Esporte

Pedro Ivo Almeida

No Rio de Janeiro

05/12/2011 18h27

Após muitas reclamações contra a arbitragem dos jogos decisivos do Campeonato Brasileiro, o Vasco ganhou mais um motivo para esbravejar contra a CBF. Segundo o presidente cruzmaltino, Roberto Dinamite, o clube foi ignorado pela entidade máxima do futebol nacional e nem sequer foi convidado para a festa oficial da competição, que acontece nesta segunda-feira, em São Paulo.

Mais confusão: Dinamite briga em camarote e provoca: 'Fla é mais vice que o Vasco'

  • Site oficial do Vasco

    O empate em 1 a 1 no clássico Vasco x Flamengo definitivamente não terminou com o apito final de Pericles Bassols. Tanto em campo, quando jogadores do Vasco cercaram o árbitro após o fim da partida, quanto fora dele, o clima continuou quente. Uma confusão no corredor entre os camarotes do Engenhão acabou apenas com a intervenção da Polícia Militar. Rubro-negros provocaram o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, com gritos de "vice de novo" e foram reprimidos. O que inicalmente era uma ação dos seguranças do dirigente, acabou se transformando em um bate-boca, com direito a empurrões, que envolveram, inclusive, o mandatário cruzmaltino

Ainda de acordo com o mandatário vascaíno, o fato causa muita estranheza, visto que o time de São Januário era postulante ao título até o início da última rodada. Profundamente decepcionado, Dinamite disse que gostaria muito de participar da festa, mas "não vai a um evento que não é convidado".

"Sinceramente, por tudo que o Vasco fez neste campeonato, eu gostaria de estar nesta festa, mas não vou a um evento que não sou convidado. Enquanto presidente, não recebi nenhum convite, assim como os meus diretores. O clube foi ignorado, não foi informado de nada. Isso é muito estranho. Será que ninguém sabia que nós poderíamos ser campeões? Não dá para entender", desabafou Dinamite, em entrevista ao UOL Esporte, acrescentando.

"Em nenhum momento fomos procurados. Soube das coisas por vocês (imprensa) e pelos nossos jogadores que foram indicados aos prêmios. Além da arbitragem, que eu já estou cansado de reclamar, e da mudança para São Paulo, que nos desagradou demais, é mais um episódio lamentável. Estou profundamente decepcionado", afirmou o presidente vascaíno, com a voz embargada, sem disfarçar a decepção com a CBF.

Prass desconfiado

Ex-capitão do time e um dos líderes do elenco vascaíno, Fernando Prass também não escondeu sua irritação. Incomodado com a maneira como a entidade tratou o clube carioca, o goleiro não descartou uma possível festa já programada para o Corinthians.

"Houve um erro grave, ou então a festa já estava programada", cutucou Prass, acrescentando. "Fui comunicado pelo meu presidente e, assim como ele, estou muito decepcionado com tudo isso. Ontem, até às 19h, não sabiam quem seria o campeão e não chamaram o Vasco. Como assim? Tem algo muito errado nisso", esbravejou o arqueiro cruzmaltino.

O ruído na comunicação entre Vasco e CBF é mais um capítulo da "guerra" travada por ambos nos bastidores. Na última semana, a diretoria vascaína não escondeu a irritação com a escalação do árbitro Péricles Bassols para a partida da decisiva contra o Flamengo, neste último domingo. O juiz, que já havia prejudicado o time de São Januário no clássico entre os dois times no primeiro turno, voltou a errar, não marcando um pênalti em Diego Souza. Mesmo reconhecendo os méritos do Corinthians, campeão brasileiro, os dirigentes cruzmaltinos acreditam que o clube poderia ter ido mais longe na competição, não fossem as "intervenções" da arbitragem.

Sem a presença de Roberto Dinamite e da cúpula de seu futebol, o Vasco será representado no evento apenas pelos jogadores indicados aos prêmios. Ainda assim, nem todos confirmaram presença. Dedé e Fernando Prass, que já estão em São Paulo e recebera a "Bola de Prata" nesta segunda, não sabem se contarão com as companias de Fagner, Rômulo, Diego Souza e Cristóvão Borges, indicados em suas respectivas funções. Ricardo Gomes, indicado ao lado de seu auxiliar, também não irá à festa.

Esporte