PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton diz que combate ao racismo não está sendo levado a sério na F1

O piloto da Mercedes Lewis Hamilton veste camisa com a inscrição Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) durante GP da Hungria - Dan Istitene/Getty Images
O piloto da Mercedes Lewis Hamilton veste camisa com a inscrição Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) durante GP da Hungria Imagem: Dan Istitene/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

20/07/2020 09h17Atualizada em 20/07/2020 10h31

Único piloto negro da Fórmula 1, Lewis Hamilton criticou a desmobilização em torno da luta contra o racismo na categoria. Após vencer o GP da Hungria e assumir a liderança da competição ontem, o britânico afirmou que o tema não está sendo levado a sério.

"Não acho que esteja sendo levado a sério. Talvez haja pessoas que não tenham crescido em meio a esse problema e não entendem. Há quem pense que por isso não os afeta. Eu já ouvi esse comentário: "Isso não me afeta. Por que devo fazê-lo?", declarou Hamilton.

O hexacampeão da F1 também pediu que os pilotos mantivessem o engajamento visto na primeira corrida da temporada, quando quase todos se ajoelharam antes da prova na Áustria.

"Muitos pilotos parecem ser da opinião de que fizeram isso uma vez e não farão de novo. É quase como se tivesse saído da agenda. Está faltando liderança", afirmou.

Antes do GP da Hungria, Hamilton vestiu uma camiseta com a inscrição Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e se ajoelhou durante a cerimônia de abertura da prova.

O gesto, no entanto, teve pouca adesão. Enquanto Hamilton já estava ajoelhado, os demais pilotos ainda chegavam às suas posições, também vestindo camisetas com mensagens contra o racismo. O finlandês Valtteri Bottas, seu companheiro de Mercedes, chegou ao local sem usar máscara.

Após vencer a corrida, Hamilton se mostrou decepcionado com o pouco tempo em que a manifestação teve de ser feita. Questionado sobre os pilotos que seguem se negando a se ajoelhar, o hexacampeão disse que considera um problema.

"Gastei muita energia na Áustria tentando convencer alguns dos pilotos. Mas o que importa é quem está fazendo e apoiando. Meu sonho é ver todos juntos ajoelhados na frente do grid, mostrando que estamos unidos", declarou.

GP da Hungria

Fórmula 1