PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

'É um passo em direção à normalidade', diz Binotto sobre retorno da F1

Mattia Binotto, chefe da Ferrari, disse que a volta da categoria é um passo em direção a normalidade após o isolamento social provocado pela pandemia de coronavírus - Maxim Shemetov/Reuters
Mattia Binotto, chefe da Ferrari, disse que a volta da categoria é um passo em direção a normalidade após o isolamento social provocado pela pandemia de coronavírus Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 15h15

O chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto, disse em entrevista ao jornal La Gazzeta dello Sport que está muito animado com a volta da Fórmula 1 e que será uma temporada muito especial. Ainda afirmou que isso não é apenas um detalhe, mas um passo para a volta da normalidade após o distanciamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus.

"Em pouco mais de um mês finalmente voltaremos a normalidade. De fato, 2 de julho será o primeiro fim de semana do Grande Prêmio da Áustria, a abertura de uma temporada muito especial. Começaremos com uma série de corridas pela Europa, sem público e com um protocolo de segurança muito restrito para garantir a saúde de todos os participantes. Será muito estranho não pode ver os nossos fãs nas arquibancadas e será uma grande emoção para nós voltarmos a fazer o que amamos e fazer ouvir o ronco de nossos motores de longe", afirma Binotto.

O dirigente da Ferrari também explicou como a tecnologia ajudou a escuderia a trabalhar durante o isolamento, onde decisões importantes foram tomadas, não sendo fácil lidar com a experiência, que segundo ele não substitui o trabalho presencial. O trabalho na fábrica de Maranello, na Itália, já foi retomado, mesmo que boa parte dos funcionários ainda estejam trabalhando em casa.

"Durante a paralisação, a Internet nos permitiu seguir conectados com nossos colegas e trabalhar em um momento particularmente delicado, uma vez que foram tomadas decisões importantes, não apenas para nossa equipe, mas para todo o esporte. Não foi nada fácil lidar com certos pontos cruciais para o futuro a curto e médio prazo, mas a Ferrari atuou com um forte senso de responsabilidade com relação a seus colaboradores e à Fórmula 1 em geral, colocando o interesse coletivo em primeiro lugar."

O italiano nascido na Suíça comemorou o feriado da Proclamação da República da Itália e disse que sente muito orgulho em poder ser um representante do país e espera trazer conquistas para ajudar seu povo a superar um pouco da dor trazida por uma era complicada como a atual.

"Hoje é dia da República da Itália e como membro da Ferrari, sinto orgulho de ser italiano e representar o meu país em todo o mundo. Realmente esperamos poder brindar a todos os nossos compatriotas uma boa satisfação em breve, para que possam esquecer rapidamente esses meses difíceis."

Fórmula 1