PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Para vencer, Ferrari precisa de um líder como Schumacher, diz Ecclestone

Ecclestone afirma que a Ferrari necessita de um líder como Schumacher para voltarem a vencer - Mark Thompson/Getty Images
Ecclestone afirma que a Ferrari necessita de um líder como Schumacher para voltarem a vencer Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

25/05/2020 15h48

O ex-chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone disse que falta para a Ferrari um líder que faça a equipe voltar a conquistar títulos, como na época de Michael Schumacher, que ganhou cinco títulos seguidos entre 2000 e 2004. Afirmou que esse foi o detalhe que impediu que Sebastian Vettel de ser campeão e que fosse superado pelo seu jovem companheiro, Charles Leclerc.

"Em comparação ao que se passa agora, a situação de Schumacher com a Ferrari foi um pouco diferente. Uma vez perguntei a Schumacher: 'Quem comanda a equipe?' E ele me respondeu: 'Eu'. Essa foi provavelmente a razão pela qual tiveram tantos exitos. O problema atual dos italianos é que realmente não possuem muitos líderes. Em minha opinião, não tem um líder. A pessoa a cargo da equipe [Mattia Binotto] é basicamente um super engenheiro, ele está com a Ferrari há mais de 20 anos", explicou Ecclestone.

O último título de pilotos da equipe de Maranello foi em 2007, com Kimi Raikkonen, que venceu Lewis Hamilton e Fernando Alonso, ambos da McLaren, apenas por um ponto na última corrida daquela temporada, em Interlagos. O último título de construtores foi em 2008, quando Felipe Massa foi vice-campeão mundial.

Ecclestone e Vettel - Charles Coates/Getty Images - Charles Coates/Getty Images
Imagem: Charles Coates/Getty Images

Vettel foi trocado por Carlos Sainz antes do inicio da temporada de 2020 e disputará todo o campeonato sabendo que não continuará na equipe e até agora não tem seu futuro definido, com poucas opções de equipes no grid. Com a Ferrari, o alemão foi duas vezes vice-campeão mundial, ganhou 14 corridas, conseguiu 54 pódios e 11 poles.

"Gostaria de ver Vettel na Mercedes, seria bom para a F1 e para todos que assistem ao esporte, seria uma super equipe. Não creio que Lewis [Hamilton] esteja preocupado e que Seb se encantaria com a possibilidade de correr contra ele", afirmou o ex-chefe da categoria, que sempre teve uma relação próxima a Vettel.

Fórmula 1