PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Dia Mundial dos Oceanos

Bora Bora, na Polinésia Francesa, no Oceano Pacífico  - Divulgação
Bora Bora, na Polinésia Francesa, no Oceano Pacífico Imagem: Divulgação
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

08/06/2021 20h28

Faço aniversário no próximo domingo, dia 13.

Mas todo ano, cinco dias antes da data, comemoro como se o dia fosse o meu também.

8 de junho é o Dia Mundial dos Oceanos.

E desde pequeno, sempre senti que pertenço mais à parte de água do que de terra do planeta.

Mesmo tendo que ficar tanto tempo longe, estou sempre conectado à água salgada.

Principalmente por causa do surfe.

E poucas imagens me causam mais dor que ver o descaso das pessoas com o mar.

A sujeira, poluição, morte e extinção de parte da fauna... a destruição deliberada... causada pelo homem.

lixo - Getty Images - Getty Images
O lixo plástico flutua pelos oceanos, ameaça a vida marinha e polui cada vez mais as praias
Imagem: Getty Images

De acordo com um estudo publicado na revista Science, o tamanho das zonas mortas - áreas sem oxigênio nas águas abertas do oceano e que são abandonadas por criaturas marinhas pois é impossível sobreviver ali - quadruplicou desde meados do século 20.

E a tendência, infelizmente, é que esse número aumente se o comportamento não mudar.

A luta não pode parar.

Toda ação, de individual a empresarial, faz diferença... e muita.

Uma das iniciativas mais recentes, veio da Corona, uma das patrocinadoras oficiais do circuito mundial.

A cerveja - que já conduziu mais de 1,4 mil ações de limpeza, engajando 68 mil voluntários e coletando plástico de mais de 44 milhões de m² de praias, em todo o planeta - acaba de se tornar a primeira marca global de bebidas neutra em resíduos plásticos. Hoje, recupera e recicla mais plástico do que coloca no mundo.

O objetivo é ser líder em sustentabilidade em produtos de consumo embalados e ajudar a proteger os oceanos e as praias do mundo da poluição.

"Como uma marca nascida na praia e profundamente conectada com a natureza, Corona tem a responsabilidade de fazer todo o possível para ser uma aliada do nosso meio ambiente e dos nossos oceanos", conta Felipe Ambra, Vice-Presidente Global de Marketing da Corona. "Mas não podemos fazer isso sozinhos. Por isso criamos 'Plastic Reality', uma experiência de realidade aumentada que permite que as pessoas vejam seu consumo anual de plástico dentro de suas próprias casas. Visualizar nosso consumo de plástico de um ano inteiro na nossa própria sala é realmente revelador, então esperamos que isso possa inspirar as pessoas a reduzirem seu uso e reavaliarem seu impacto ao meio ambiente".

campanha - Corona - Corona
Oceano
Imagem: Corona

A ideia - disponível no site www.plasticreality.com - é fazer usuários terem acesso a uma estimativa de seu consumo anual de plástico depois de algumas perguntas sobre seus hábitos. A ferramenta ainda abre um portal virtual para uma praia, mostrando os efeitos da poluição na natureza.

Essa terça-feira é emblemática.

Mas só uma data.

Preservar é preciso.

Um prazer, não obrigação.

Para que seja possível celebrar o 8 de junho todos os anos... e sem precisar lamentar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL