PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coutinho: André é garantia de proteção no Tricolor e mais uma joia de Xerém

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

17/09/2021 04h00

Reconhecida como uma das principais divisões de base do país, ''Xerém'' deu mais um fruto para a equipe profissional do Fluminense! Destaque no sub-17 e sub-20 do clube nos últimos anos, o volante André vai conquistando seu espaço no time titular tricolor. Alçado aos profissionais por Odair Hellmann em 2020, ganhou minutos gradativamente com Roger Machado e foi mantido por Marcão, que conhece muito bem a função.

André completa hoje um mês como titular do Fluminense. São oito jogos consecutivos perfilando desde o início e mostrando capacidade para se manter como tal. Antes disso, havia sido titular em outras seis partidas, mas sempre substituindo alguém lesionado ou suspenso. Ganha então a sua primeira sequência e, por mais que vista a 35 na numeração fixa do clube, toma conta da função de ''camisa 5''.

Anteriormente, o volante foi escalado com um pouco mais de liberdade para atacar, mas o seu melhor desempenho na base tricolor ocorreu da forma que cumpre atualmente. É um jogador de muita imposição física, posicionamento correto, agressividade no combate e noção de cobertura a laterais e zagueiros. Com a bola, tem um bom passe de distribuição inicial. Não compromete, mas não é necessariamente um articulador de jogadas. Serve como complemento a um volante mais ofensivo.

Como vem atuando na ''base'' de um tripé central com Martinelli e Yago Felipe, acrescenta demais dentro daquilo que o Fluminense se propõe a fazer. O time recuperou a intensidade para marcar vista em alguns momentos de 2021 e em toda a temporada de 2020, e a presença de André é fundamental para o funcionamento deste modelo. Ele é importante também na missão de compactar os setores e acrescentar a imposição física que Marcão busca na região central do campo.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Fluminense em fase ofensiva e André por trás da linha da bola, encostando nos dois lados e fazendo a posse circular de um lado a outro
Imagem: Rodrigo Coutinho

02 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
Em fase defensiva, André entre a linha de defesa e a linha de meias, protegendo a entrada da área e cobrindo os espaços que surgem
Imagem: Rodrigo Coutinho

Chamado de ''velho'' na base do clube, muito pela liderança que tinha em relação aos demais garotos, vem corroborando esse histórico ao não sentir a pressão em ''duelos grandes''. Foi titular, por exemplo, em um dos jogos pelas oitavas de final da Libertadores, contra o Cerro Porteño, em julho. Antes disso, já havia feito o gol da vitória no clássico contra o Flamengo, válido pelo 1º turno do Brasileirão. Mesmo com apenas três minutos em campo, foi decisivo ao bater forte para vencer Diego Alves.

Com o tempo, vai ganhar mais experiência e entender a força correta empregada em algumas jogadas. Por vezes, acaba fazendo faltas desnecessárias nas proximidades da área, o que não é bom no futebol de hoje. Está entre os dez volantes mais ''faltosos'' em média do Brasileirão 2021 até o momento, comete ao menos duas infrações por jogo. Pode melhorar neste dado.

São pouco mais de 30 jogos como profissional do Fluminense e 20 anos de idade recém-completados. André já está vivendo a fase de afirmação na equipe titular e o que está por vir na carreira dele ainda é imensurável. Se tiver a cabeça no lugar e as lesões não aparecerem com frequência, pode se transformar em um dos nomes importantes da próxima geração de jogadores brasileiros. Há potencial para voos grandes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL