PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: São Paulo coleciona vexames após o título do Paulistão

Hernán Crespo, técnico do São Paulo, durante a partida contra o Fortaleza - DANIEL GALBER/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Hernán Crespo, técnico do São Paulo, durante a partida contra o Fortaleza Imagem: DANIEL GALBER/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

16/09/2021 17h32

Depois de fracassar no início de 2021 (ainda pela temporada 2020), quando perdeu a liderança e o título Brasileiro que estava encaminhado, o São Paulo começou a temporada 2021 de técnico novo, com o argentino Crespo no lugar de Fernando Diniz. No início desta temporada, o time encaixou e conquistou o Paulistão com méritos, batendo o Palmeiras na final.

O título, que quebrou um jejum de 9 anos sem conquistas do clube e outro de 16 anos no Estadual, foi muito comemorado pelo São Paulo. Tanto, que teve diretor chamando o Paulistão de Copa do Mundo. Até o jogo do título sobre o Palmeiras, o time de Crespo conseguiu um aproveitamento de 71,4% em 21 jogos (13 vitórias, 6 empates e apenas 2 derrotas), com 44 gols feitos (2,10 por jogo) e 13 gols sofridos (0,62).

Depois do título estadual, o time perdeu o prumo. Em 30 jogos, o aproveitamento caiu para 44,4% (10 vitórias, 10 empates e 10 derrotas), com 42 gols feitos (1,40 por jogo) e 37 gols sofridos (1,23). Nesse período, o clube ficou 9 jogos sem vitória no início do Brasileirão, e caiu para a zona do rebaixamento. Depois, foi eliminado da Libertadores nas quartas de final pelo Palmeiras e pelo Fortaleza, nas quartas da Copa do Brasil.

No Brasileirão, o time conseguiu melhorar um pouco na reta final do 1º turno, mas ainda segue numa posição desconfortável, na 16ª posição (1 ponto à frente do América-MG, o primeiro da zona do rebaixamento). Além disso, o tricolor tem o 3º pior ataque com apenas 16 gols feitos.

O bom futebol encontrado pelo time de Crespo no Paulistão sumiu. Após o título, foram poucas as boas exibições do time, como na vitória sobre o Racing, na Argentina, nas oitavas de final. O São Paulo levou um baile do Palmeiras na eliminação da Libertadores, foi goleado pelo Flamengo e perdeu feio para o Fortaleza na queda da Copa do Brasil.

O São Paulo não mostra reação e vive um momento crítico na temporada, que pode até terminar sem a vaga para a Libertadores de 2021. Sem Daniel Alves, que foi um dos principais nomes do time no Estadual, o time de Crespo voltou a apresentar o problema dos últimos anos, que quedas bruscas de rendimento, principalmente nas fases finais das competições.

Ainda há tempo para o São Paulo reagir e fechar o ano melhor. Elenco tem para isso. E até treinador. Mas é preciso reagir. E rápido.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL